• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartão TRI Passagem Escolar

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • dezembro 2018
    S T Q Q S S D
    « nov    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Reajuste: Tabelas salariais agravam distorções na carreira docente

10 de setembro de 2018

Negociado durante a mobilização dos servidores federais de 2015 – e sem a participação do ANDES-SN –, o reajuste nos vencimentos dos docentes não vem evitando as perdas salariais. Além disso, algumas condições tornam as distorções nos ganhos ainda mais gritantes.

Uma delas é a composição da remuneração: para os doutores com Dedicação Exclusiva, a Retribuição por Titulação (RT) é maior que o vencimento básico, em todas as classes e níveis. O peso da RT precariza a carreira, já que ela pode ser revogada ou alterada (como já foi diversas vezes).

Também as tabelas do governo ampliam a disparidade entre os ganhos correspondentes aos diferentes níveis de carreira dos professores federais. No Magistério Superior, enquanto o Titular recebeu 2,8% de reposição, o Adjunto 1 foi contemplado com 2,1%. “Ainda que sejam décimos no índice, eles expressam um escalonamento bastante acentuado entre um nível e outro”, comenta o professor da Escola de Administração da UFRGS e primeiro tesoureiro da Seção UFRGS do ANDES-SN, Guilherme Dornelas Camara. “Os menores reajustes são os dos professores recém contratados – maioria nos quadros das Universidades. Assim, o governo ‘aproveita’ para economizar”, completa.

Outra faceta salientada pelo representante do ANDES/UFRGS é o efeito do achatamento no tipo de regime de contratação. “Proporcionalmente, os professores com 20 horas semanais tiveram um reajuste maior do que os com 40 horas e dedicação exclusiva.”

A professora do Colégio de Aplicação Rúbia Liz Vogt de Oliveira, primeira secretária do ANDES/UFRGS, explica que a situação é similar no caso do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT). Ela lembra que, no caso da carreira EBTT, os valores e os pesos das RTs também variam de acordo com o Reconhecimento de Saberes e Competências (RSC), que alteram o nível salarial por meio de pontos. “Assim, um mestre com RSC de doutor vai receber a RT referente ao nível mais alto, ainda que não tenha a titulação”, explica.

Após reajuste pífio em agosto, Temer edita MP para adiar reposição dos servidores federais

Quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Em mais uma investida contra os servidores federais, o presidente Michel Temer editou Medida Provisória (MP) congelando o reajuste salarial previsto para 2019. A MP foi publicada no Diário Oficial da União no dia 02 de setembro, e depende de aprovação no Congresso Nacional.

O reajuste salarial foi uma das conquistas da greve de 2015, quando diversas categorias de servidores pararam as atividades durante mais de quatro meses. Mas os termos do acordo com os docentes, negociados à época sem a participação do ANDES-SN, resultaram em várias perdas e distorções.

Em julho de 2018, o Índice Geral de Preços de Mercado (IGMP) acumulava alta de 8,24% em 12 meses. Os percentuais de correção foram variados, mas nenhum deles chegou ao da inflação. Entre os professores doutores com dedicação exclusiva, os Adjuntos 4 foram contemplados com o maior percentual: 3%. Os docentes Associados 1 receberam 2,5%.

Já os professores ingressantes (Adjunto A1 ou DI 1, na carreira EBTT) estão tendo dificuldade de identificar o incremento: foram “agraciados” com 0,2%. O governo congela os salários dos professores que assumem mais encargos didáticos e estão mais vulneráveis, em regime de Estágio Probatório.

Confira os índices de reajuste dos professores doutores DE na tabela abaixo:

 

Tabela

Pressão contra a MP

De acordo com o professor Juca Gil, da Faculdade de Educação da UFRGS e diretor da Seção UFRGS do ANDES-SN, Temer está aproveitando a oscilação eleitoral para romper acordos. “Ele usa a questão econômica para justificar voltar atrás no que disse há poucos dias.”

Esta não é a primeira vez que o governo tenta congelar o reajuste dos servidores federais. Em 2017, Temer editou uma MP congelando os salários em 2018, que foi derrubada no STF e depois arquivada. Segundo Juca Gil, o Sindicato Nacional está vigilante. “Certamente, haverá um movimento para tentar reverter os efeitos da MP.” Ele lembra ainda que, em período eleitoral, é preciso atentar para o compromisso dos candidatos de não cortar mais serviços ou sucatear estruturas em prol de pagamento de dívidas e juros.

Nos próximos números do Informandes, vamos abordar outras facetas nefastas das tabelas de reajuste. Siga acompanhando!

Boletim Informativo*, nº 18/2015, 26/08/2015

PAUTA:

1.Reitorias das Federais divulgam problemas financeiros por corte orçamentário.

2.Dias 27 e 28 são de manifestações em Brasília; em Porto Alegre, envio de uma chuva de e-mails ao Ministro da Educação.

3.Quinta-feira, na UFRGS: Seminário Regional/RS “A Corrupção e o Sistema da Dívida”,promovido pelo Núcleo Gaúcho da Auditoria Cidadã da Dívida Pública.

1.Reitorias das Federais divulgam problemas financeiros por corte orçamentário

Os diversos cortes orçamentários da educação federal somam mais de R$11 bilhões. O ANDES-SN iniciou a campanha “Abre as Contas Reitor(a)” – com o intuito de que as Instituições Federais de Ensino (IFEs) divulguem publicamente como foram afetadas pela situação.

Desde então, algumas reitorias têm divulgado o tamanho do impacto causado pelos cortes do governo federal no cotidiano das universidades:

Na Universidade Federal Fluminense (UFF), a reitoria não abriu as contas, mas a situação financeira se mostra caótica. Na última quarta-feira (19), parte da universidade ficou sem luz por conta de atraso no pagamento das contas. A UFF deve mais de R$9 milhões em contas de energia elétrica.

Na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o MEC repassou R$3,9 milhões para uma dívida de R$14 milhões, i.e., 27% do necessário: leia “UFSM recebeu 27% do necessário para pagar dívidas” aqui.

A Reitoria da UFSM também manifestou preocupação com a política de Ensino à Distância (EAD), considerada uma das grandes prioridades do governo federal nos últimos anos. Para o segundo semestre deste ano, a UFSM teve que cancelar quatro cursos de Especialização devido à supressão orçamentária. Conforme o vice-coordenador da Universidade Aberta do Brasil – UAB na instituição, Reisoli Bender Filho, a parte de custeio do EAD está garantida, entretanto, não há garantia alguma de bolsas para professores e tutores.

Na Universidade Federal de Pelotas – UFPel, a Administração informou que o capital para o ano de 2015 ainda não foi confirmado. Há, até então, o corte de 10% nos recursos de custeio e 47% nos recursos de capital. Mas já é possível afirmar que muitas coisas irão mudar:

Disse o Reitor, prof. Mauro Del Pino: “Concretamente, especialmente em obras, cujo corte foi muito maior, nós já desistimos de muitos sonhos. Vários projetos, até por causa da greve, sabemos que não vamos dar sequência. O projeto do esgoto do Capão do Leão não vai acontecer, do esgoto daqui [Anglo], da urbanização do Capão, a reforma de parte da Brahma não vamos fazer mais, recuperação do CIM [Centro de Integração do Mercosul], e assim vai”.

Sobre a UFMA (Maranhão), UFLa (Lavras), UFPA (Pará), UFCG (Campina Grande): veja a imagem e leia aqui.

unnamed

Outras instituições, como a Universidade Federal da Bahia (Ufba) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) já haviam divulgado como seriam afetadas com as restrições orçamentárias. Confira as matérias aqui e aqui.

2.Dias 27 e 28 são de manifestações em Brasília; em Porto Alegre, envio de uma chuva de e-mails ao Ministro da Educação

Os dias 27 e 28/08 (5af e 6af) serão marcados: em Brasília,  por duas grandes mobilizações; em Porto Alegre, pelo envio de uma chuva de e-mails ao Ministro da Educação.

Na quinta-feira, 27/08, Marcha dos Servidores Públicos Federais

A marcha do dia 27 é organizada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais, percorrerá parte da Esplanada dos Ministérios e realizará uma manifestação em frente ao Ministério do Planejamento (MPOG), para pressionar o governo.

Na sexta-feira, 28/08, Manifestação dos Docentes Federais em Greve

O Ato acontecerá perante o edifício do MEC, para cobrar negociação efetiva da pauta de reivindicações específica da categoria. Trata-se de pressionar o ministro da Educação, Janine Ribeiro, a negociar com a categoria, que completará três meses de greve justamente no dia do ato, sem sequer ser recebida pelo ministro.

Em POA, envio de uma chuva de e-mails: “Negocia Janine!”

Enquanto ocorrem as manifestações em Brasília, o que fazer nos estados, o que fazer em Porto Alegre? Enviar ao MEC uma “chuva” de e-mails pela efetiva abertura de negociação e pelo atendimento das reivindicações. Enviar as msg ao e-mail: gabinetedoministro@mec.gov.br

Que texto enviar? Pode ser simplesmente: “Negocia Janine!” ou outra frase ou texto da preferência de cada um. Para subsidiar a inspiração, segue uma sugestão de texto:

“Senhor Ministro da Educação: A greve nacional dos professores das Instituições Federais de Ensino (IFE) prolonga-se sem que o governo apresente proposta que atenda as reivindicações dos docentes – reestruturação da carreira, reversão dos cortes no orçamento e melhores condições de trabalho. Sabemos que a educação pública, gratuita e de qualidade deve ser prioridade do governo e lastro de uma nação, o que é impossível sem a valorização do trabalho docente e das IFE. Por isso, exigimos sua ação imediata para a efetiva abertura da negociação e pelo atendimento das reivindicações dos docentes.”

Leia mais e veja a imagem em: Docentes federais se preparam para mobilização nos dias 27 e 28 em Brasília

e em Boletim do Fórum dos SPF convoca servidores para Marcha à Brasília no dia 27

unnamed (34)

3.Quinta-feira, na UFRGS: Seminário Regional/RS “A Corrupção e o Sistema da Dívida”, promovido pelo Núcleo Gaúcho da Auditoria Cidadã da Dívida Pública

Entender o sistema da dívida, a dívida da União, a dívida do estado do Rio Grande do Sul com a União, as implicações disso sobre nossa vida, nossos direitos e visualizar saídas: essas são as razões do Seminário Regional/RS promovido pelo Núcleo Gaúcho da Auditoria Cidadã da Dívida Pública.

O evento acontece nesta quinta-feira, 27 de agosto, a partir das 9h, no Auditório da Faculdade de Economia da UFRGS (Campus Centro, Av. João Pessoa, 52, 3º andar) e contará com a participação da Coordenadora Nacional da Auditoria Cidadã da Dívida Pública, Maria Lúcia Fattorelli.

O Estado do Rio Grande do Sul atravessa uma crise financeira sem precedentes. A dívida pública é um dos seus componentes mais relevantes. Atualmente, o RS é o estado com a maior dívida da nação. O Estado arrecada, investe pouco em infraestrutura e deixa de atender as necessidades básicas da população. O governo do RS entregou R$ 3,2 bilhões, em 2014, para pagamento de juros e amortização da dívida, e continua devendo R$ 47,1 bilhões. A dívida se realimenta.

O evento pode ser assistido pela internet em: www.simpe-rs.com.br/2014/aovivo

Programação:
9h – Abertura
9h30min – Mesa “As consequências do Sistema da Dívida sobre as Nações e povos do Mundo, América Latina e Brasil” – prof. Nildo Domingos Ouriques, docente do Depto. de Ciências Econômicas da UFSC, e Mathias Luce, docente do Depto. de História da UFRGS;
13h30min – “A Corrupção e o Sistema da Dívida: Experiências das Auditorias do Equador e da Grécia”, palestra por Maria Lúcia Fatorelli, Coordenadora Nacional da Auditoria Cidadã da Dívida;
15h30min – “As Consequências do Sistema da Dívida sobre as Finanças do RS”, palestra por Josué Martins, Auditor Público do TCE-RS, membro da Coordenação do Núcleo Gaúcho da Auditoria Cidadã da Dívida Pública.

Agende-se!

unnamed (35)

(Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui)

*A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Mobilização (CLM/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLM. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Boletim Informativo*, nº 17/2015, 20/08/2015

EM TEMPO: Leia aqui, na íntegra, a Ata da Reunião entre a PROGRAD e o Comando de Greve dos Docentes

PAUTA:

1.Nesta quinta-feira 20/08, a PROGRAD reuniu com a Comissão Representativa dos docentes grevistas para definições relativas à retomada das atividades acadêmicas do primeiro semestre

2.Sobre a Assembleia Geral da última terça-feira 18/08

3.Dia 18/08 foi Dia Nacional de Luta: servidores federais realizaram atos em todo o país, exigindo negociação e atendimento da pauta de reivindicações; em Porto Alegre,…

1.Nesta quinta-feira 20/08, a PROGRAD reuniu com a Comissão Representativa dos docentes grevistas para definições relativas à retomada das atividades acadêmicas do primeiro semestre

Na terça-feira 18/08, imediatamente após o final da Assembleia Geral (AG) que decidiu pelo encerramento da greve docente, uma Comissão do Comando de Greve notificou a Reitoria dessa decisão e solicitou o urgente agendamento de uma reunião com a Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD) para a adoção de providências consensuadas relativas aos ajustes necessários nos procedimentos e no Calendário Acadêmico.

A reunião aconteceu na manhã desta quinta-feira, 20/08. Representaram a PROGRAD o prof. Sergio Roberto Kieling Franco, Pró-Reitor, a profª Clarice Salete Traversini, Diretora do Departamento de Cursos e Políticas de Graduação (DCPGrad), e Letícia Prezzi Fernandes, diretora do Decordi.

Compunham a Comissão Representativa do Comando de Greve e da Assembleia Geral, o(a)s prof(a)s Pedro de Almeida Costa (Administração) e Guilherme Dorneles (Comgrad/Administração), Maria Cecília de Chiara Moço (vice-coordenadora da Comgrad/Biociências), Eunice Kindel e Cesar Lopes (Educação), Nair Silveira (Psicologia), Jussara Maria Rosa Mendes (Comgrad/Serviço Social), e Carlos Alberto Gonçalves (ICBS e ANDES/UFRGS). Estavam ainda presentes o(a)s prof(a)s Daniela Callegaro de Menezes (Coordenadora da Comgrad/Administração) e Sidinei Oliveira (seu vice), por solicitação dos docentes da referida Escola. Ou sejam, estavam presentes representantes de três Comgrads: Biociências, Serviço Social e Administração.

Ao iniciar a reunião, o prof. Sergio Franco passou a palavra aos membros do Comissão Representativa. Estes ressaltaram o caráter respeitoso de sua presença ali, desprovida de questionamentos de cunho pessoal.

A Comissão salientou a presença ali de docentes que já foram membros da Câmara de Graduação. Por estarem acostumados a cuidar todos os procedimentos administrativos tendo como base as resoluções do CEPE/CONSUN e o Regimento da Universidade, inicialmente apontaram para o descumprimento da resolução 11/2013 do CEPE (Normas da Graduação) e do Regimento da Universidade nas situações de apropriação de NI, de perda do ordenamento correto dos estudantes e, na indicação dessa Pró-Reitoria, para que as Comgrads quebrassem pré-requisitos podendo então efetuar as matrículas.

Sendo assim e diante da série de problemas causados por estas situações, a Comissão passou a indicar encaminhamentos para retomar o semestre 2015/1.

Em ambiente propositivo, objetivo e de mútuo respeito, seguiu-se uma troca de apreciações, reparos, sugestões. Ao final, chegou-se a um consenso de definições e encaminhamentos, registrados em Ata. Leia aqui, na íntegra, a Ata da Reunião entre a PROGRAD e o Comando de Greve dos Docentes

Dentro do acordado na reunião, a Prograd está convidando as Comgrads/Departamentos a uma reunião de informação e discussão das orientações “sobre procedimentos adotados a partir do retorno das atividades dos docentes (matrículas, apropriação de conceitos, ajustes de turmas, entre outros)”. A reunião ocorrerá na próxima segunda-feira, 24/08, às 10h00, no Auditório da Faculdade de Economia.

foto

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui

2.Sobre a Assembleia Geral da última terça-feira 18/08

A Assembleia Geral (AG) Docente da terça-feira 18 teve quorum expressivo, numeroso. Foi participativa e madura. Foi compenetrada e reflexiva quando se concentrou em escutar a leitura do documento em que o Comando Local de Greve (CLG) apresentou a proposta de encerramento da greve. Leia o documentoaqui. A AG também vivenciou…

Momentos de emoção

Um desses foi quando a profª Bete Búrigo, após assinalar o deprimente episódio de 2008 (quando um punhado de 37 professores, armados de procurações, reunidos em uma AG fantasma, “transformou” a Adufrgs-Seção Sindical do ANDES-SN em sindicato municipal), recordou os inícios do trabalho de reorganização da Seção Sindical. Foi um trabalho árduo, mas cujas sementes brotaram sob a forma do afluxo numeroso de docentes às Asssembleias Gerais das greves de 2012 e deste ano.

IMG_0404

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui

O destaque desses momentos emocionantes foi a tomada de palavra do Coletivo de Docentes da Faculdade de Educação (FACED), representado pelas professoras Carmen Machado, Dani Noal, Eunice Kindel, Flávia Santos e Magali Mendes de Menezes. Elas leram a bela carta do Coletivo ao Comando Local de Greve e simbolicamente entregaram flores a alguns de seus membros. Lembraram que, como escreveu Cecília Meireles, “aprendemos com as Primaveras a nos deixar cortar para poder voltar sempre inteiros”. Leia o texto do Coletivo da Faced AQUIe veja a foto aqui.

Também, foi lida a “Mensagem à Assembleia Geral” do prof. Carlos Alberto “CA” Gonçalves: impedido de estar presente, apelou para a Assembleia a “sair da greve com a mesma cabeça erguida [com que entramos na greve]”! Leia a mensagem do prof. Carlos Alberto AQUI.

11891129_827968287320306_4509546187180388777_n

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui

3.Dia 18/08 foi Dia Nacional de Luta: servidores federais realizaram atos em todo o país, exigindo negociação e atendimento da pauta de reivindicações; em Porto Alegre,…

Na última terça-feira (18/08), servidores públicos federais de todo o país realizaram Atos unificados em diversos estados e no Distrito Federal, para exigir negociação e o atendimento imediato da pauta de reivindicações.

A realização de Atos foi um chamado do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef), para dar visibilidade, nos estados, à luta em defesa do serviço público e para pressionar o governo federal a abrir negociações efetivas sobre todos os eixos da pauta unificada.

O Dia 18 em Brasília (DF)

Em Brasília, foi realizado um ato em unidade com os servidores do judiciário federal (Fenajufe), em frente ao Congresso Nacional. Milhares de servidores participaram da manifestação com bandeiras e cartazes, nos quais exigiram negociação efetiva e o cumprimento de seus direitos.

Saiu na imprensa: no dia 18, em Porto Alegre, protesto dos servidores federais bloqueia o prédio da Fazenda (“Chocolatão”)

Servidores federais em greve bloquearam o prédio do Ministério da Fazenda (“Chocolatão”) em Porto Alegre. Não houve atendimento ao público ou distribuição de processos. Os servidores federais estão em greve por reajuste salarial que compense as perdas para a inflação acumulada. Rejeitaram a proposta de reajuste de 21,3% parcelado nos quatro próximos anos (2016 a 2019) – o que é bem inferior à inflação projetada pelo próprio governo (fonte: Correio do Povo, 19/08/2015, p. 4, e Sul 21). Leia aqui.

Para saber mais, sobre o dia 18 no resto do país, leia SPF realizam atos em todo o país e exigem atendimento da pauta de reivindicações

No dia 19, “Servidores federais impediram entrada de ônibus no Campus do Vale”: leia aqui.

Leia “Servidores desbloqueiam entrada do Campus do Vale”: aqui.

*A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Mobilização (CLM/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLM. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Boletim Informativo*, nº 16/2015, 19/08/2015

PAUTA:

1.Assembleia Geral Docente encerra greve na UFRGS e mantém estado de mobilização

2.Reitoria recebe Comando Local de Mobilização (CLM) para entrega da Notificação de encerramento da greve

3.Comunicado Especial do CNG: participação no bate-papo sobre Educação #FaceToFace com o ministro Janine no dia 20 de Agosto

 

1.Assembleia Geral Docente encerra greve na UFRGS e mantém estado de mobilização

unnamed (33)

Nesta última terça-feira, dia 18, durante a tarde, o Auditório da Faculdade de Educação ficou cheio (ver foto acima). Foi mais uma numerosa e participativa Assembleia Geral (AG) de docentes da UFRGS.

Comando Local de Greve sinalizou para o fim do movimento grevista na UFRGS

Após os diversos informes, especialmente os informes e avaliações das Unidades, o Comando Local de Greve (CLG) leu um documento (leia aqui) em que, consensualmente, apresentou a proposta de encerramento da greve, “como um recuo tático […] para seguirmos nos mobilizando de outras formas nas próximas semanas”.

Em sua análise, o CLG assinalou os ganhos organizativos e, sobretudo, políticos havidos, como a relevância, pertinência e clareza adquiridas pela pauta nacional de reivindicações e, localmente, a elaboração (pela primeira vez) de uma Pauta Local Emergencial de Reivindicações, que foi entregue à Administração Central e à qual esta respondeu oralmente e por escrito.

Debate maduro e votações

Seguiu-se um debate maduro e passou-se à votação. O encerramento da greve foi aprovado por ampla maioria de votos, com três votos contrários e dez abstenções. A AG demonstrou, portanto, grande unidade, também no momento de recomposição de forças.

Foi, então decidido que a quarta-feira, 19, será dedicada a reuniões nas Unidades e que, na quinta-feira, 20/08, acontecerá a retomada das atividades acadêmicas suspensas em 29 de junho (aulas a serem dadas, aplicar provas, correções, recuperações…) e a serem desenvolvidas nos doze dias úteis que faltavam para alcançar o final do semestre letivo.

O Comando Local de Greve foi transformado em Comando Local de Mobilização (CLM), o que aponta para a continuidade da pressão pelas reivindicações nacionais e da luta pela melhoria das condições de trabalho na UFRGS – tendo solidariedade ativa com a greve nacional docente, com a greve nacional dos técnico-administrativos e com a greve nacional dos servidores federais.

De 29 de junho (começo da greve na UFRGS) a 18 de agosto (Assembleia de encerramento), foram exatos 51 dias de greve.

Momentos de emoção

A Assembleia vivenciou vários momentos de emoção. Entre esses, destaca-se a tomada de palavra do Coletivo da Faculdade de Educação (Faced) para ler sua carta ao Comando Local de Greve e simbolicamente entregar flores a alguns de seus membros. Também, foi lida mensagem à AG do prof. Carlos Alberto Gonçalves, impedido de estar presente. Este boletim voltará a esses momentos de emoção, registrados em fotos.

2.Reitoria recebe Comando Local de Mobilização (CLM) para entrega da Notificação de encerramento da greve

image001 (2)

Após o término da Assembleia Geral, o CLM foi à Reitoria para entrega da Notificação de encerramento da greve e solicitar reunião com a ProGrad. Foi recebida pelo prof. José Carlos Frantz, Pró-Reitor de Pesquisa, representando a Reitoria.

O documento entregue pela representação da Assembleia Geral notifica o encerramento da greve (18/08), informa o dia (20/08) de retomada das atividades acadêmicas que foram suspensas pela greve e explicita a quantidade de dias úteis/letivos (doze) que faltam para completar devidamente o Calendário Acadêmico e as atividades necessárias de serem cumpridas (aulas, provas, etc. e, depois, apropriação de conceitos, matrículas…), considerando-se que a greve foi iniciada no dia 29 de junho.

É neste sentido que foi solicitada reunião, para o dia 20/08,  com o Sr. Pró-Reitor de Graduação para consensuar a compreensão em torno dessas tarefas e, em consequência, de um calendário adequado nas unidades onde houve docentes em greve.

Atento e cordial, o prof. José Carlos Frantz se comprometeu em encaminhar o documento e os pedidos. A comissão representando o CLM e a Assembleia Geral foi composta pelo(a)s prof(a)s Robert Ponge (Letras, aposentado), Elisabete Búrigo (Matemática), Sueli Goulart e Pedro Costa (Administração), Daniele Cunha (Colégio de Aplicação), Jorge Quillfeldt (Biociências) e Nelton Dresch (Educação).

Leia a Notificação entregue à Reitoria: aqui.

image

 

3.Comunicado Especial do CNG: participação no bate-papo sobre Educação #FaceToFace com o ministro Janine no dia 20 de Agosto

Até hoje, o ministro Renato Janine não recebeu nem o Andes-SN, nem o Sinasefe, nem a Fasubra – mesmo após quase três meses da greve nacional dos docentes e técnico-administrativos da rede federal.

Um evento no Facebook, chamado “Bate Papo sobre a Educação”, criado pelo programa governamental designado “Dialoga Brasil” (sic – uma ironia!), propõe um espaço virtual de conversa com o titular do MEC amanhã, dia 20/8 às 16h00.

Diante disso, o Comando Nacional de Greve (CNG) indica a necessidade de divulgação do evento e a mobilização para participar do mesmo enviando questionamentos sobre a nossa greve, a pauta de reivindicações e o fato de não termos sido recebidos até hoje, sempre acompanhados de #DialogaJanine

Segue o endereço do evento para ampla divulgação: https://www.facebook.com/events/514747588688579/

unnamed (32)

#DialogaJanine! – “E até Paulo Freire se pergunta: por que não ‪#‎DialogaJanine!?”

 

*A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Mobilização (CLM/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLM. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

 

Boletim Informativo* nº 15/2015 – 17/08/2015

PAUTA:

1.Nesta terça-feira, 18/08: Assembleia Geral Docente na UFRGS (14h00) e manifestações nos estados

2.Reitoria finalmente entregou a resposta escrita à Pauta Local de Reivindicações

3.Notícias das Unidades: Psicologia, Colégio de Aplicação, Faculdade de Educação

4.ANDES-SN, Fasubra e Sinasefe realizam o Ato “Negocia Janine!”; Greve de professores contra os cortes nas universidades federais completou 75 dias

1.Nesta terça-feira, 18/08: Assembleia Geral Docente na UFRGS (14h00) e manifestações nos estados

-Assembleia Geral Docente na UFRGS (14h00)

QUANDO: nesta terça-feira, 18 de agosto, às 14h00;

ONDE: no Auditório da Faculdade de Educação (sala 102), Campus Centro;

PAUTA: situação das negociações com o MPOG e a Reitoria, informes das Unidades, encaminhamentos.

Compareça!

-Manifestações nos estados: O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) chama à realização de manifestações em todos os estados na próxima terça-feira (18/08), em defesa dos serviços públicos e para cobrar que o governo federal negocie efetivamente com os servidores federais.

Em Porto Alegre, o Fórum dos Federais/RS está planejando atividades e chamando a confluir para o Ato dos Servidores Estaduais, a realizar-se no Largo Glênio Peres, no final da tarde.

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui

2.Reitoria finalmente entregou a resposta escrita à Pauta Local de Reivindicações

Na última sexta-feira, dia 14/08, a Reitoria finalmente entregou a resposta escrita à Pauta Local de Reivindicações.

Conforme já noticiado no boletim nº 10 (de 05/08), o Comando Local de Greve/UFRGS (CLG) protocolou, em 24 de julho, Ofício especificando os pontos da Pauta Local Emergencial da greve (deliberados em AG anterior). Leia o documento aqui.

Em 31 de julho, a Administração Central reuniu-se com o CLG e apresentou, verbalmente, respostas aos três pontos do Ofício (recuperação de prédios e infraestrutura; alocação de turmas e falta de salas; pagamento dos retroativos das progressões), especificando cronograma de previsão de prazos para a recuperação dos prédios e salas de aula das Unidades mais afetadas pelos problemas de infraestrutura. Leia o relato da reunião divulgado no item 2 do boletim nº 10: aqui.

No entanto, o prometido Ofício da Reitoria, formalizando por escrito a resposta aos pontos da pauta, vinha sendo postergado pela Administração Central.

Sendo assim, no dia 11 de agosto, uma Comissão de 25 docentes foi até o Gabinete do Reitor para cobrar a referida resposta formal, por escrito. Representando a Reitoria, o, estipulando o prazo de sexta-feira 14! . Após mais de meia-hora de insistência, a Comissão foi recebida pelo prof. Vladimir Pinheiro do Nascimento, Pró-Reitor de Pós-Graduação.

Este ouviu cordial e atentamente a Comissão e se comprometeu com o prazo estipulado por esta: o dia 14. Efetivamente, na última sexta-feira, 14 (quatorze) dias depois das respostas orais, a versão escrita foi entregue! Cabe perguntar: por que tanta demora e postergação?

O CLG vai proceder à analise do documento escrito, cotejando-o com o teor das respostas orais.

Resposta da Reitoria à Pauta Local de Reivindicações – Leia AQUI

Pauta Local de Reivindicações – Leia AQUI

3.Notícias das Unidades: Psicologia, Colégio de Aplicação, Faculdade de Educação

Instituto de Psicologia

Na quarta-feira, dia 12 de agosto, a reunião do Conselho do Instituto de Psicologia (IP) contou com a presença do Reitor, Vice-Reitor, Superintendente da SUINFRA, Pró-Reitor de Pós-graduação e representante do Pró-Reitor de Graduação.

Entre outras notícias, informaram que a previsão de finalização das obras do prédio do IP (interditado desde novembro de 2014) é no final do mês de outubro. O retorno das atividades no prédio será planejado, sendo que as salas de aula poderão ser utilizadas somente a partir do início do próximo ano.

Foram examinadas demandas emergenciais da comunidade acadêmica do IP com relação às condições de trabalho no Anexo I do Campus Saúde e nos demais espaços a serem utilizados no segundo semestre.

O Reitor também foi indagado sobre os cortes na Educação, ao que ele respondeu que os reitores têm se manifestado através de sua Associação nacional, a ANDIFES, e que não há crise na UFRGS em função de tais cortes.

No mesmo dia, ocorreu Assembleia da comunidade do IP. Foi aprovada a continuidade da paralisação das atividades até terça-feira, dia 18 de agosto, em apoio à greve nacional. No entanto, a adesão dos docentes à  paralisação não foi tão expressiva como na primeira semana de agosto. Os estudantes divulgaram uma nota com relação à decisão da Assembleia, apoiando a mobilização local e nacional.

Colegio de Aplicação (CAp)

O grupo mobilizado de professores e técnico-administrativos do Colégio de Aplicação (CAp) divulgou “Carta à Comunidade escolar do CAp”, em que apresenta relato cuidadoso da situação e das dificuldades em obter respostas objetivas da Administração. A carta pode ser lida  AQUI

Agenda na Faculdade de Educação (Faced)

Veja aqui

4.ANDES-SN, Fasubra e Sinasefe realizam o Ato “Negocia Janine!”

Na tarde da última sexta-feira (14/08), docentes e funcionários técnico-administrativos da educação federal realizaram uma manifestação exigindo que o ministro Janine Ribeiro (MEC) negocie com as duas categorias em greve.

O ato, organizado pelos Comandos Nacionais de Greve (CNG) das três entidades representativas (ANDES-SN, Fasubra e Sinasefe) foi realizado no centro de Brasília, em frente ao hotel onde o ministro participou de um debate sobre educação.

A manifestação faz parte da campanha “#DialogaJanine!”, que busca estar presente e protestar em todos os eventos em que o Ministro se fizer presente: as atividades exigem que o Ministro negocie com os docentes e com os técnico-administrativos, em greve há mais de 70 dias.

Apesar de afirmar à imprensa que está aberto ao diálogo, o Ministro, no entanto, nunca sentou em uma mesa de reunião com os CNGs do ANDES-SN, do Sinasefe e da Fasubra para discutir as reivindicações de ambas categorias.

unnamed (32)

Para visualizar a imagem: aqui  “E até Paulo Freire se pergunta: por que não ‪#‎DialogaJanine!?”

Saiu na imprensa: leia “Greve de professores contra os cortes nas universidades federais completa 75 dias” aqui

*A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Greve (CLG/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLG. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Boletim Informativo* nº 14/2015 – 15/08/2015

PAUTA:

1.ANDES-SN reúne com Associação Nacional dos Reitores das Federais (Andifes), que reconhece o impacto dos cortes orçamentários

2.Na próxima terça-feira, 18/08, haverá manifestações nos estados e Assembleia Geral Docente na UFRGS (14h00)

3.Greve Nacional Docente nas Federais se amplia com a adesão de novas Instituições (IFEs)

4.Não à extinção da FZB e da FEPPS!

1.ANDES-SN reúne com Associação Nacional dos Reitores das Federais (Andifes), que reconhece o impacto dos cortes orçamentários

Na quarta-feira 12/08, o Comando Nacional de Greve (CNG) do ANDES-SN participou de uma reunião com a diretoria da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) para discutir como os cortes no orçamento afetam as instituições federais de ensino superior, bem como para debater a pauta da greve nacional dos docentes federais, a recusa do governo em negociar e a omissão do ministro Janine Ribeiro (MEC).

Sobre os cortes no orçamento, a reitora Maria Lucia Neder, recém-eleita presidente da Andifes, informou que solicitou ao MEC que revise o corte de R$ 9,4 bilhões nas IFES e que o corte de R$ 1,9 bilhão não atinja as universidades.

Durante a reunião, houve convergência sobre vários pontos entre a ANDIFES e o CNG/ANDES-SN e acordo que os cortes existem, são nefastos e que se deve lutar contra eles.

Dentro dessa perspectiva, a profª Marinalva Oliveira, 1°vice-presidente do ANDES-SN, fez a seguinte colocacação: “Precisamos realizar uma reunião conjunta (Andes-SN/Andifes) com o ministro da educação e conversar sobre o tema com ele, para termos: – garantia que teremos novas vagas para concurso público; – garantia que as obras serão concluídas; – uma garantia mínima para o funcionamento das instituições”.

Leia mais aqui.

2. Na próxima terça-feira, 18/08, haverá manifestações nos estados e Assembleia Geral Docente na UFRGS (14h00)

-Manifestações nos estados: O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) chama à realização de manifestações em todos os estados na próxima terça-feira (18/08), em defesa dos serviços públicos e para cobrar que o governo federal negocie efetivamente com os servidores federais.

Em Porto Alegre, o Fórum dos Federais/RS está planejando atividades e chamando a confluir para o Ato dos Servidores Estaduais, a realizar-se no Largo Glênio Peres, no final da tarde.

-Assembleia Geral Docente na UFRGS (14h00)

QUANDO: nesta terça-feira, 18 de agosto, às 14h00;

ONDE: no Auditório da Faculdade de Educação (sala 102), Campus Centro;

PAUTA: situação das negociações com o MPOG e a Reitoria, informes das Unidades, encaminhamentos.

Agende-se!

cartaz docentes em greve_assembléia geral 18 08 15 (1)

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui

3.Greve Nacional Docente nas Federais se amplia com a adesão de novas Instituições (IFEs)

A greve dos docentes federais, iniciada em 28 de maio, se amplia a cada semana com a adesão de novas instituições. Até o momento, o ANDES-SN contabiliza 47 IFEs que aderiram ao movimento que luta: – pela reversão dos cortes no orçamento da educação federal; – em defesa do caráter público da Universidade; – por melhores condições de trabalho; – garantia de autonomia nas IFE; – reestruturação da carreira; – valorização e paridade de ativos e aposentados.

Na última semana, a greve cresceu com a recente adesão dos docentes de sete IFEs: Uni-Rio (RJ), UFPR (PR), UFJF (Juiz de Fora, MG), IF do Sudoeste de Minas Gerais (Juiz de Fora, MG), IFPB (PB), UFPI (Piauí), UFSJ (São João del Rei, MG).

O prof. Paulo Rizzo, presidente do ANDES-SN, comentou: “Como já estamos sinalizando há um tempo, as Instituições Federais de Ensino Superior que não pararem pela greve, vão parar por inanição, por total falta de condições de funcionamento. Os reitores estão escolhendo quais contas pagar no mês e, em alguns lugares, já não conseguem mais manter as instituições funcionando”.

Cabe acrescentar que, até a última quarta-feira, relativamente aos Institutos Federais – IFs, o Sinasefe (Sindicato Nacional que representa os docentes das instituições da carreira EBTT) contabilizava novo crescimento da greve, com 210 unidades de ensino paralisadas.

4.Não à extinção da FZB e da FEPPS!

Na 2af., 17/08, às 9h00, em frente à Secretaria estadual do Meio-Ambiente (SEMA), na Av. Borges de Medeiros, 260, será realizado um Ato pela retirada do PL 300, contra a extinção da FZB!

Na quinta-feira 06/08, o governo do Estado do RS anunciou que pretende extinguir, entre outras, a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB) e a Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (FEPPS).

A FZB é constituída pelo Museu de Ciências Naturais, pelo Jardim Botânico e pelo Parque Zoológico. A Fundação Zoobotânica sempre destacou-se pelo alto nível de seus técnicos, bem como pela excelência e comprometimento de suas pesquisas, cujo trabalho a tornou respeitada e reconhecida internacionalmente.

A FEPPS executa serviços essenciais de saúde pública. Possui em sua estrutura o Laboratório Central do Estado (Lacen) e 16 laboratórios regionais, seis hemocentros, Clínica de Hemofilia, Centro de Informações Toxicológicas (CIT) e o Centro Avançado de Diagnóstico em Saúde.

A Assembleia Geral Docente do dia 11/08 aprovou moções em que manifestou seu repúdio à lamentável iniciativa do Governo estadual e seu apoio aos profissionais e servidores da FZB e da FEPPS.

Um próximo boletim divulgará o texto das moções, bem como os posicionamentos de entidades como o DAIB e APG/UFRGS, o Conselho do Instituto de Biociências, etc.

Nesta 2af., 17/08, às 9h00, em frente à Secretaria estadual do Meio-Ambiente (SEMA), na Av. Borges de Medeiros, 260, será realizado um ATO PELA RETIRADA DO PL 300, CONTRA A EXTINÇÃO DA FZB, convocado por entidades ambientalistas (Agapan, Mogdema, Apedema/RS, Ingá…), estudantes de Biologia (Daib/UFRGS) e de Pós Graduação (APG/UFRGS), funcionários da FZB, FEPAM, SEMA.

*A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Greve (CLG/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLG. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Boletim Informativo* nº 13/2015 – 12/08/2015

PAUTA:

1.Assembléia Geral Docente do dia 11 mantém greve e cobra resposta escrita à pauta local

2-Comissão da Assembleia Geral cobra, da Reitoria, entrega da prometida resposta escrita à Pauta Local de Reivindicações

3-Em todo o país, o dia 11 (“Dia do Estudante”) foi marcado por Atos unindo professores, estudantes e funcionários em defesa da Educação Pública e contra a Redução da Maioridade Penal

1-Assembléia Geral Docente do dia 11 mantém greve e cobra resposta escrita à pauta local

image010 (2)

Novamente, os docentes da UFRGS compareceram numerosos à Assembleia Geral (AG) Docente ocorrida na última terça-feira, 11 de agosto, às 14h30, no Auditório da Faculdade de Economia.

Os  112 docentes presentes ouviram o informe sobre a greve nacional, que está crescendo tanto na rede federal de educação (mais cinco IFEs entraram em greve na última semana) como entre as outras categorias de servidores federais, e sobre a situação das negociações com o governo (nova reunião com o Ministério do Planejamento – MPOG deveria acontecer na próxima segunda-feira).

A Assembleia Geral (AG) foi informada de que, onze dias após a reunião com a Reitoria sobre a Pauta Local, a Administração Central não tinha ainda entregue a prometida resposta por escrito e que os contatos mantidos a respeito não sinalizavam para uma rápida entrega. Essa postura da Reitoria foi interpretada como descaso, gerando várias manifestações de insatisfação na plenária.

A AG ouviu também os informes das Unidades. Seguiu-se, então, a discussão sobre essas questões, principalmente sobre os encaminhamentos e os rumos da greve, local e nacionalmente.

Após amplo e fraterno debate democrático, procedeu-se então à votação: a Assembleia Geral decidiu por manter a greve, com 3 votos de diferença a favor (e dez abstenções).

A Assembleia Geral também apontou a necessidade de desenvolver atividades de mobilização em várias Unidades, bem como a premente necessidade de cobrar com ênfase as respostas da Administração Central à pauta local. Com esse objetivo, um grupo de 25 professores, representando a AG, se dirigiu à Reitoria no final da Assembleia (ver o item 2, abaixo).

A próxima Assembleia Geral (AG) será na próxima terça-feira, dia 18 de julho, às 14h00, no Campus Centro, em local a ser confirmado. 

2-Comissão da Assembleia Geral cobra, da Reitoria, entrega da prometida resposta escrita à Pauta Local de Reivindicações

image014 (2) unnamed (29)

Conforme já noticiado no boletim nº 10 (de 05/08), o Comando Local de Greve/UFRGS (CLG) protocolou, em 24 de julho, Ofício especificando os pontos da Pauta Local Emergencial da greve (deliberados em AG anterior). Leia o documento aqui.

Em 31 de julho, a Administração Central reuniu-se com o CLG e apresentou, verbalmente, respostas aos três pontos do Ofício (recuperação de prédios e infraestrutura; alocação de turmas e falta de salas; pagamento dos retroativos das progressões), especificando cronograma de previsão de prazos para a recuperação dos prédios e salas de aula das Unidades mais afetadas pelos problemas de infraestrutura. Leia o relato da reunião divulgado no item 2 do boletim nº 10: aqui.

No entanto, até hoje, o prometido Ofício formal da Reitoria, em resposta aos pontos da pauta, não foi entregue ao CLG, apesar da insistente cobrança.

Sendo assim, ao término da Assembleia Geral do dia 11 de agosto (relatada no item 1, acima), uma Comissão de 25 docentes foi até o Gabinete do Reitor para cobrar da Administração Central da Universidade resposta formal, por escrito, às reivindicações da Pauta Local dagreve.

A presença da Comissão surpreendeu a Reitoria e ouriçou a Segurança. A informação do Chefe de Gabinete (por telefone) era de que, naquele horário, ninguém da Administração estava presente, ninguém poderia receber os professores. Isso não demoveu a Comissão. Após mais de 30 minutos de persistência e insistência, um representante da Reitoria se fez presente. O que foi bastante pedagógico para o grupo de professores, que viu de perto a postura da Administração.

Representando a Reitoria, o Prof. Vladimir Pinheiro do Nascimento, Pró-Reitor de Pós-Graduação, ouviu cordial e atentamente a reivindicação de que a prometida resposta à Pauta Local, ponto-a-ponto, fosse entregue até a sexta-feira (dia 14 de agosto), considerou procedente o pedido e se comprometeu em leva-lo ao Sr. Reitor. O Pró-Reitor Wladimir também ouviu dos professores presentes, oriundos de diversas unidades, críticas à falta de divulgação e transparência na gestão da Universidade.

A pressão presencial, a insistência coletiva foram, portanto, bastante positivas e pedagógicas!

3-Em todo o país, o dia 11 (“Dia do Estudante”) foi marcado por Atos unindo professores, estudantes e funcionários em defesa da Educação Pública e contra a Redução da Maioridade Penal

unnamed (30)

Na UFRGS e em Porto Alegre

Na UFRGS, o Ato foi chamado pelo Andes, Assufrgs, DCE e APG. Os manifestantes começaram a se concentrar às 9h em frente à Faced, que amanheceu fechada pelos estudantes de Pedagogia, liderados pelo Diretório Acadêmico da Faculdade de Educação (DAFE). O objetivo do “trancaço” foi chamar atenção sobre a situação da Universidade, que sofre com o corte de verbas.

Com a chegada da marcha dos secundaristas, os manifestantes se uniram ao Ato, e todos seguiram pelo Túnel da Conceição e a Mauá rumo ao Centro da cidade. O protesto se encerrou com um Ato em frente ao Palácio Piratini.

A Marcha e os Atos repudiaram os cortes feitos na Educação Publica, o descaso com a educação nas esferas nacional, estadual e municipal e a proposta de redução da maioridade penal.

No Ato no Palácio Piratini, o Prof. Andreas Kindel (ver foto ao lado), do Instituto de Biociências, fez a fala em nome dos docentes da UFRGS, posicionando-se em defesa da Educação Pública e contra a proposta do governo Sartori de extinção da Fundação Zoobotânica (FZB) e da FEPPS.

Fontes: ANDES/UFRGS e Assufrgs. Leia e veja as fotos aqui.

Nacionalmente, Atos contra ajuste fiscal e redução da maioridade penal marcam dia do Estudante

Leia aqui: Atos contra ajuste fiscal e redução da maioridade penal marcam dia do Estudante

image004

*A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Greve (CLG/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLG. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Boletim Informativo* nº 12/2015 – 10/08/2015

PAUTA:

1.Nesta terça-feira, 11/08: Dia Nacional de Lutas e Assembleia Geral Docente

2-Alguns dados esclarecedores sobre os cortes na Educação Pública e os subsídios ao ensino privado

3-Docentes das Universidades Estaduais da Bahia obtiveram grande vitória e encerraram greve de 86 dias

1.Nesta terça-feira, 11/08: Dia Nacional de Lutas e Assembleia Geral Docente

1.1. Dia Nacional de Lutas pela abertura de efetivas negociações, em defesa da Educação Pública e contra a redução da maioridade penal

Nesta terça-feira, 11/08: mobilizações com Atos nos estados, convocados pelas entidades da Educação Federal em greve (ANDES-SN, Fasubra, Sinasefe), pelas demais entidades do funcionalismo federal (Fenasp, Fenajuf, Condsef…) e pelas entidades estudantis (secundaristas e universitários) locais e nacionais (DCE, APG, UNE, Umespa, UEE livre, ANEL, OE/UNE, FENET e ExNEEF, DAs, etc.).

Pauta da manifestação: em defesa da Educação Pública, contra a redução da maioridade penal.

Em Porto Alegre, na UFRGS, concentração às 10h00 na frente da Faculdade de Educação (Campus Central), seguida de caminhada e passeata até o Centro da cidade, com os demais manifestantes.

1.2. Assembleia Geral Docente (11/08, 14h30)

QUANDO: nesta terça-feira, 11 de agosto, às 14h30;

ONDE: no Auditório da Faculdade de Economia, 3º andar (Campus Centro, Av. João Pessoa, 52)

PAUTA: situação das negociações, informes das Unidades, pauta nacional e pauta local, encaminhamentos.

cartaz docentes em greve_assembléia geral 11 08 15

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui  Compareça! 

2-Alguns dados esclarecedores: em setes meses, o governo cortou mais verbas da Educação Federal do que investiu em sete anos no Reuni, porém nos mesmos setes meses liberou para o ensino privado valor igual aos cortes na Educação Federal!

Em junho, o governo determinou um corte de quase 70 bilhões no orçamento federal. No final de julho, acrescentou um novo “ajuste”, elevando para R$ 79,4 bilhões os cortes nas áreas sociais.

O orçamento do MEC foi novamente atingido, desta vez com corte da ordem de R$ 1 bilhão. Esse novo corte eleva para mais de R$ 12 bilhões a redução das verbas públicas destinadas para a Educação Federal.

Os cortes feitos na Educação Federal neste ano já superam os valores investidos no Reuni de 2008 a 2014!

Em sete anos, de 2008 a 2014, o governo investiu R$ 9 bilhões na expansão da rede federal, através do Reuni. Ora, os cortes sofridos pela Educação Federal nestes sete meses do ano de 2015 já superam R$ 12 bilhões, ultrapassando em mais de três bilhões os valores gastos em investimentos nos sete últimos anos. Isso dá uma ideia das dimensões dos cortes!

As verbas cortadas do ensino público são direcionadas para o… ensino privado

Um dia após divulgar os detalhes do novo ajuste no orçamento (portanto, os novos cortes nos gastos sociais), o Planalto abriu “crédito extraordinário” de R$ 5,2 bilhões para o Programa de Financiamento Estudantil (Fies) – i.e., destinado a subsidiar o ensino privado.

Cabe lembrar que, no primeiro semestre de 2015, o governo já havia destinado cerca de R$ 6,5 bilhões para o Fies. Ou seja, o total destinado ao FIES, nos primeiros sete meses de 2015, chega a cerca de R$ 11,7 bilhões. Um valor quase igual aos cortes sofridos pela Educação federal!

Isso significa que não há falta de verbas: a verdade é que as verbas existentes são desviadas para o ensino privado. Trata-se de um claro desvio de recursos da Educação Pública para a iniciativa privada!

3-Docentes das Universidades Estaduais Baianas obtiveram grande vitória e encerraram greve de 86 dias: o acordo assinado com o governo traz conquistas de lutas históricas, garantia de orçamento e de direitos trabalhistas

A greve dos professores das Universidades Estaduais da Bahia (Ueba) foi encerrada na última quinta-feira (06/08), depois de 86 dias de luta em defesa da educação pública e pela garantia de direitos trabalhistas. Com a assinatura de acordo com o governo do estado, a categoria saiu vitoriosa de um movimento que conseguiu arrancar do governo baiano a garantia da autonomia político-administrativa das instituições, questões orçamentárias e direitos trabalhistas.

Foram necessárias 16 mesas de negociação e a elaboração de contraproposta por parte dos docentes para conseguir uma proposta concreta que contemplasse parcialmente as reivindicações da pauta protocolada em dezembro do ano passado.

O movimento grevista abrangeu as quatro universidades estaduais existentes na Bahia: Uefs, Uesc, Uneb e Uesb.

Leia mais aqui: Docentes das Estaduais Baianas obtêm grande vitória e encerram greve de 86 dias

* A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Greve (CLG/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLG. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Informações sobre a greve nacional das IFES, sobre as reivindicações e sobre a paralisação na UFRGS: https://andesufrgs.wordpress.com/

Boletim Informativo* nº 11/2015 – 08/08/2015

Assembleia Geral Docente, nesta terça-feira 11 de agosto, às 14h30, no Auditório da Faculdade de Economia (Campus Centro).

cartaz docentes em greve_assembléia geral 11 08 15

Caso não consiga visualizar a imagem, clique aqui

Em Pauta: situação das negociações, informes das Unidades, pauta nacional e pauta local, encaminhamentos. Agende-se!

PAUTA:

1.Notícias das mobilizações nas Unidades: Administração, Psicologia, Colégio de Aplicação

2.A próxima terça-feira, 11/08, terá Dia Nacional de Lutas e Assembleia Geral Docente

3.Protestos e posicionamentos contra a ausência de negociações e contra os cortes

1.Notícias das mobilizações nas Unidades: Administração, Psicologia, Colégio de Aplicação

Informação prévia: passada uma semana da reunião com a Reitoria, continua-se esperando o prometido documento contendo as respostas, por escrito, à Pauta Local…!

Instituto de Psicologia

No Instituto de Psicologia (IP), está acontecendo uma mobilização que envolve docentes, técnico-administrativos e estudantes – grevistas e não grevistas. Na última semana, considerando-se as condições precárias de trabalho (prédio interditado desde o final de 2014), as atividades foram suspensas, no aguardo de uma reunião com o Reitor na Unidade, conforme solicitação registrada em carta entregue no mês de julho.

Na próxima quarta-feira, dia 12, haverá a presença do Reitor em reunião ampliada do Conselho da Unidade. A proposta é que o Reitor possa ver de perto as condições de trabalho, comprometa-se com encaminhamentos e cumprimento de prazos nas obras do IP, com atendimento de ajustes necessários nas condições de espaço disponibilizadas para o segundo semestre, já que não haverá condições de ocupação do prédio atualmente interditado antes de dezembro.

Escola de Administração

Na última quinta-feira, 06/08, integrantes do CLG convidaram professores, representantes eleitos e dirigentes institucionais da Escola de Administração (EA) a uma reunião. Além de vários professores, estiveram presentes os colegas da COMGRAD, Departamento, Colegiado, Representantes docente no Conselho da Unidade e o Diretor.

Foram feitos esclarecimentos sobre o movimento sindical e grevista, discutiram-se os itens da pauta nacional e local. Esta última teve grande repercussão e adesão dos presentes e, em decorrência, foi agendada para o dia seguinte (sexta-feira) uma reunião com o diretor da Unidade e o encaminhamento de uma carta ao Consun, a ser lida pelo diretor da unidade, por solicitação dos professores da EA mobilizados (não somente os que estão em greve).

Além disso, a atividade gerou um movimento de crescente envolvimento coletivo quanto às condições de trabalho. Foi solicitado e acatado pela Comgrad da EA a solicitação de que o Forum de Comgrads reivindique a necessidade de reorganização do processo de matrícula, em decorrência da situação de greve dos docentes na UFRGS. À noite, a Assembleia dos estudantes decidiu pelo estado de greve e apoio à greve de docentes e técnicos da UFRGS.

Da reunião da quinta-feira resultou o agendamento de uma reunião com a direção da EA, para o dia seguinte (sexta-feira) para exposição e discussão das condições de trabalho. Ao final da mesma, foi agendada uma reunião com o Pró-Reitor de Graduação que virá à EA na próxima quarta-feira para explicar as condições de funcionamento do segundo semestre letivo.

A mobilização é crescente e legítima;  provoca  e estimula ações da Administração Central.

Colegio de Aplicação (CAp)

O grupo mobilizado de professores e técnico-administrativos do Colégio de Aplicação (CAp) redigiu e distribuiu carta aos familiares e responsáveis pelos estudantes do CAp-UFRGS, em que presta conta dos passos dados e da situação relativamente às obras e medidas de manutenção e reforma do Prédio. Até a data de redação e divulgação da carta, a Administração não tinha entregue documento oficial a respeito. A carta pode ser lida aqui

2.A próxima terça-feira, 11/08, terá Dia Nacional de Lutas e Assembleia Geral Docente

2.1. Dia Nacional de Lutas pela abertura de efetivas negociações, em defesa da Educação Pública e contra a redução da maioridade penal

A próxima terça-feira, 11/08, será de mobilizações com Atos nos estados, convocados pelas entidades da Educação Federal em greve (ANDES-SN, Fasubra, Sinasefe), pelas demais entidades do funcionalismo federal (Fenasp, Fenajuf, Condsef…) e pelas entidades estudantis (secundaristas e universitários) locais e nacionais (DCE, APG, UNE, Umespa, UEE livre, ANEL, OE/UNE, FENET e ExNEEF, DAs, etc.).

Pauta da manifestação: em defesa da Educação Pública, contra a redução da maioridade penal.

Em Porto Alegre, na UFRGS, concentração às 10h00 na frente da Faculdade de Educação (Campus Central), seguida de caminhada e passeata até o Centro da cidade, com os demais manifestantes.

2.2. Assembleia Geral Docente (11/08, 14h30)

QUANDO: nesta terça-feira, 11 de agosto, às 14h30;

ONDE: no Auditório da Faculdade de Economia, 3º andar (Campus Centro, Av. João Pessoa, 52)

PAUTA: situação das negociações, informes das Unidades, pauta nacional e pauta local, encaminhamentos.

3.Protestos e posicionamentos contra a ausência de negociações e contra os cortes

3.1.Em nova marcha, servidores públicos federais pressionam governo por negociação

Nesta quinta-feira (6), mais de três mil servidores públicos federais (SPF) de todo o país realizaram mais uma marcha convocada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos SPF, em Brasília (DF). Os servidores percorreram a Esplanada dos Ministérios, em direção ao Ministério do Planejamento (MPOG) para demonstrar que não aceitam o confisco de seus salários e cobrar a retomada das negociações em torno da pauta unificada apresentada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos SPF.

O presidente do ANDES-Sindicato nacional, prof. Paulo Rizzo, ressaltou que o governo empurrou as negociações, pois acreditava na quebra da unidade dos servidores, o que não aconteceu: “O governo apostou que iria dividir os SPF, como já conseguiu em outras ocasiões, mas a unidade do Fórum tem sido muito grande e reforçada pelas greves em vários setores do serviço público”.

Leia mais e veja as fotos aqui

3.2.Entidades da Educação protestam contra cortes federais na Educação: da creche à pós-graduação

Leia no site da Associação nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – ANPED:http://www.anped.org.br ou http://www.anped.org.br/news/cortes-federais-na-educacao-da-creche-a-pos-graduacao

Leia aqui: Cortes federais na Educação: da creche à pós-graduação

Leia aqui: Nota Pública contra o corte de recursos para a construção de unidades de Educação Infantil

Leia aqui: Evasão de quadros no INEP

image004

Caso não visualize a imagem, clique aqui

* A publicação deste boletim é responsabilidade do Comando Local de Greve (CLG/UFRGS); a postagem está sendo feito pela Seção Sindical ANDES/UFRGS que colocou seu sistema de postagem eletrônica à disposição do CLG. Para entrar em contato com o Comando: clg.ufrgs@gmail.com

Informações sobre a greve nacional das IFES, sobre as reivindicações e sobre a paralisação na UFRGS: https://andesufrgs.wordpress.com/