• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • agosto 2017
    S T Q Q S S D
    « jul    
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

O reajuste de março perante a inflação

Salários dos docentes federais seguem corroídos pela inflação mesmo após reajustes

Estudo do Dieese aponta perda no poder aquisitivo de quase todos os docentes federais

Novo levantamento realizado pelo Dieese para o ANDES-SN aponta que grande parte dos docentes das Instituições Federais de Ensino segue com a remuneração corroída pela inflação e que o reajuste, tão alardeado pelo governo federal em 2012 e parcelado em três anos, não recompõe o poder aquisitivo da categoria, muito menos reflete em ganho real para os professores.

As bases dos cálculos do Dieese

As projeções tomam por base os índices inflacionários ICV/Dieese e IPCA/Ibge. Para as projeções futuras, é utilizada a média mensal da inflação registrada nos últimos 30 meses.

Os estudos foram realizadas tanto para os docentes do Magistério Superior quanto para os do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Ebtt). Nos dois casos as variações são semelhantes.

Todos os cálculos tomam como base inicial o salário de julho de 2010, data em que passou a vigorar a última tabela da  Lei 11.784/2008 (que foi, também, resultado de um “acordo” que o ANDES-SN não assinou porque rifava e prejudicava vários segmentos da categoria, e particularmente os aposentados).

Discurso do governo X realidade inflacionária, agravada pela retirada de direitos de segmentos específicos

Na avaliação da profª Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN: “Estes estudos demonstram que, por trás do discurso do governo de que deu aumento aos professores, na realidade o nosso poder aquisitivo vem oscilando para baixo do patamar que tínhamos em 2010. Os reajustes não recuperam o poder aquisitivo dos docentes, corroído pela inflação do período”.

De acordo com a profª Marinalva, os cenários apontados pelos levantamentos são agravados pela retirada de direitos e salário de segmentos específicos da categoria, decorrentes das alterações que desestruturam a carreira, especialmente dos aposentados e dos novos professores.

O estudo do Dieese apresenta quatro cenários e compara o reajuste no período analisado em contrapartida com a inflação acumulada. Em cada um de nossos próximos boletins, apresentaremos um dos cenários: a) de julho de 2010 até julho de 2014, b) até dezembro de 2014, etc.

Leia mais aqui. Outrossim, o nº 33 do caderno InformANDES contém uma matéria de duas páginas sobre o referido estudo do Dieese; a matéria será em breve disponível em nosso blog.

Fonte: ANDES-SN, 16/04/2014; edição pela Seção/UFRGS.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: