• Sindicalize-se!

  • Site ANDES-SN

  • Assessoria Jurídica

  • Cartão TRI Passagem Escolar

  • Cartilha sobre Assédio Moral

InformANDES na UFRGS, nº 49, 20/07/2018

Convidamos para debate com Fernando Penna sobre a Escola sem  Mordaça.

Nesta segunda-feira, 16h30, na rua Plácido de Castro, 172, em Sapucaia do Sul.

unnamed

Pauta:

1 – Repasses do MEC para universidades federais chegam ao menor patamar em sete anos

2 – ANDES-SN repudia a condenação de 23 ativistas das Jornadas de Junho de 2013

3 – Ouça o Voz Docente pela Internet

1 – Repasses do MEC para universidades federais chegam ao menor patamar em sete anos

As universidades federais tiveram em 2017 o menor repasse de verbas em sete anos, segundo dados obtidos pelo jornal G1 junto ao Ministério da Educação.

No gráfico publicado pelo G1, os valores estão corrigidos segundo a inflação acumulada até janeiro deste ano, e incluem as despesas de capital e custeio.

A linha vermelha corresponde aos valores empenhados, que se aproximam dos valores efetivamente gastos. Pode-se observar que os valores empenhados em 2017 são inferiores aos de 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016.

Mas esse foi um período marcado pela criação de novas universidades e pela expansão das matrículas.

Veja, abaixo, também o gráfico que mostra a expansão das matrículas nas universidades federais, desde 2009.

image003image005 (1)

A política de repasses do MEC compromete a expansão e provoca uma deterioração acelerada das condições das universidades, que não contam com recursos indispensáveis à manutenção das instalações, às atividades de ensino e à assistência estudantil.

Leia a reportagem completa do G1 aqui. Veja aqui o gráfico sobre a evolução dos valores empenhados na UFRGS.

Em próxima edição, o Informandes na UFRGS apresentará comentários sobre dados orçamentários divulgados pela Pró-Reitoria de Planejamento da UFRGS.

2 – ANDES-SN repudia a condenação de 23 ativistas das Jornadas de Junho de 2013

As Jornadas de Junho de 2013 conseguiram conquistas no terreno das tarifas dos transportes públicos, entre outros. Sobretudo, marcaram a conjuntura do período, tornando-se símbolo da retomada de massivas mobilizações de rua pelos movimentos reivindicatórios.

Infelizmente, as Jornadas entraram, também, para a história de nosso país, como palco de dura e violenta repressão pelas tropas de choque. E, lamentavelmente, como o pretexto para injustos processos de criminalização policial e judicial. Pois vários participantes e dirigentes das diversas mobilizações passaram a ser imediatamente perseguidos, indiciados e criminalizados em processos que mostram a face recrudescida do conservadorismo presente em nossa sociedade, nas ações do Estado, nos processos da polícia e da Justiça.

Condenação de 23 ativistas

Na última terça-feira, 17 de julho, a 27ª Vara do Rio de Janeiro condenou 23 ativistas que foram processado(a)s criminalmente. Entre eles, encontra-se uma professora universitária da UERJ.

No entender do juiz, é crime participar nas lutas por direitos durante as jornadas de junho de 2013, é crime participar na greve dos professores no mesmo ano, é crime participar de mobilizações de denúncias relativas às obras para a Copa do Mundo de 2014. Em suma, as participações em todas essas atividades se caracterizariam como associação criminosa, isto é, a associação para a prática de crimes.

Nota de repúdio do Sindicato Nacional 

Nesta quarta-feira, 18 de julho, a Diretoria do ANDES-SN veio a público para “novamente, repudiar a seletividade da justiça e a criminalização dos movimentos sociais e do(a)s trabalhadore(a)s que se organizam na luta pelos seus direitos. Solidarizamo-nos com o(a)s 23 condenado(a)s e afirmamos nossa disposição de lutar junto(a)s, política e juridicamente, contra mais essa ação arbitrária da justiça. Reivindicamos que a sentença seja revertida em sede de apelação pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Lutar não é crime! Não à criminalização dos protestos! ANDES-SN em defesa da liberdade de manifestação!”

Leia aqui a nota da diretoria do ANDES-SN na íntegra

Leia aqui matéria publicada pelo jornal Sul21.

3 – Ouça o Voz Docente pela Internet

  • OuçaAQUIo programa nº 29/2018, do dia 18 de julho de 2018

No Roteiro:

– Conversamos com o novo presidente do ANDES – Sindicato Nacional, professor Antonio Gonçalves, sobre os debates no CONAD e a vitória na votação da LDO.

Notícias Expressas

1 – Repasses do MEC para universidades federais chegam ao menor patamar em sete anos

2 – Sindicatos, estudantes e parlamentares barram tramitação de PL Escola Sem Partido

3 – Juristas gaúchos fazem denúncia contra juiz Sérgio Moro em Porto Alegre

Voz Docente é semanal, produzido pela Seção ANDES/UFRGS,  em parceria com as Seções Sindicais da UFPEL, da FURG e a Regional/RS do ANDES-SN, e radiodifundido às quartas-feiras, às 13h, na Rádio da Universidade, 1080 AM ou on-linehttp://www.ufrgs.br/radio/

O programa é também veiculado três vezes por semana em Pelotas: pela Rádio Federal FM 107,9, emissora da UFPel, e pela RádioCom 104.5 FM.

Seção Sindical do ANDES-SN: sindicato de verdade!

– Ensino Público e Gratuito: direito de todos, dever do Estado!

– 10% do PIB para Educação Pública, já!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

  • FUTURE-SE EM DEBATE

  • Canal Docente

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

%d blogueiros gostam disto: