• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • dezembro 2015
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

InformANDES na UFRGS, nº 122/2015, 28/12/2015.

PAUTA:

1-Reitoria reuniu com a Seção Sindical (2): questões de infraestrutura.

2-Docente da UFRGS alerta para relação entre a precariedade do saneamento e a expansão da dengue, da chikungunya e do zika virus.

3-Hospitais universitários do Rio de Janeiro correm o risco de fechar: a situação é “caótica”, segundo o Conselho de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj).

4-Escute, pela internet, o programa Voz Docente desta semana, nº 51/2015.

1-Reitoria reuniu com a Seção Sindical (2): questões de infraestrutura

O nº 121 (de 23/12/2015) deste boletim  iniciou um relato da reunião que a Seção Sindical/ANDES-SN teve com a Administração Central da Universidade para tratar de vários assuntos. A matéria anterior abordou a questão dos cortes de verbas do governo e suas consequências na UFRGS (leia InformANDES na UFRGS, nº 121/2015, 23/12/2015.).

Neste número, segue um relato de quatro itens sobre questões de infraestrutura.

“Prédio Novo de Aulas” no Campus Centro (ainda interditado)

Relativamente ao chamado “Prédio Novo de Aulas” do Campus Centro – que foi interditado pela Justiça, após ação do Ministério Público, por apresentar riscos e comprometimento da sua estrutura –, o Reitor, prof. Carlos Alexandre Netto, colocou que já foi reestruturado e conta com um laudo favorável à sua devolução à comunidade universitária, estando à espera de autorização judicial.

Um fato a destacar é que o Reitor reconheceu que houve “erro grave” por parte da empresa encarregada da obra, pois as fundações não foram completadas conforme determinam as normas de edificação.

Prédio do Instituto de Psicologia

Quanto ao prédio do Instituto de Psicologia – também interditado, desta vez pela própria UFRGS –, o  prof. Carlos Alexandre declarou que as obras estão em andamento e referiu especificamente à fase de reconstrução da rede lógica, mas não definiu prazo para a entrega do prédio.

Prédio novo do ICBS, no Campus Saúde, e equipamentos para prédio de aulas do IME e IFCH

A diretoria do ANDES/UFRGS pediu da Administração Central informações sobre o andamento das obras do prédio novo do ICBS, paradas por mais de 45 dias.

A diretoria cobrou, igualmente, esclarecimentos sobre os investimentos da PROPLAN em equipamentos para o prédio de aulas do Campus do Vale, onde lecionam docentes do Instituto de Matemática e Estatística e do IFCH. Esses equipamentos (projetores data-show) encontram-se encaixotados há mais de ano, sem que tenha sido contratada empresa para instalá-los.

2-Docente da UFRGS alerta para relação entre a precariedade do saneamento e a expansão da dengue, da chikungunya e do zika virus

No último sábado, 26/12, o prof. Antônio D. Benetti (IPH) publicou artigo, no diário Zero Hora, em que, acertada e oportunamente, chamou atenção que a falta de saneamento é uma das causas da presença, nas cidades brasileiras, do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus.

Pois, bem lembrou o docente do IPH/UFRGS que “a falta ou a precariedade dos serviços de abastecimento de água, de coleta de esgotos, de lixo e de drenagem criam condições favoráveis ao desenvolvimento dos mosquitos”.

E argumentou: “Uma das condições que ajudariam no controle do [mosquito] Aedes seria a melhoria dos serviços de saneamento das cidades. Além de diminuir as doenças transmitidas pelo mosquito, o saneamento contribuiria ainda para a prevenção de dezenas de doenças que têm origem na água contaminada”.

Leia mais: Antônio D. Benetti: saneamento e Aedes – Opinião dos colunistas de

3-Hospitais universitários do Rio de Janeiro correm o risco de fechar: a situação é “caótica”, segundo o Conselho de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj)

Os hospitais universitários das universidades Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Federal Fluminense (UFF), e da Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) enfrentam uma das maiores crises financeiras dos últimos anos e correm o risco de fechar as portas, de acordo com o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj).

“Existe uma denúncia grave de que as universidades que não aderiram a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) receberam menos verbas do que aquelas que aderiram. É uma arbitrariedade e não podemos deixar que isso ocorra”, alerta Pablo Vazquez, presidente do Cremerj.

Os diretores dos hospitais universitários (HUs) questionam os critérios utilizados pelo Ministério da Saúde no repasse de verbas para as unidades hospitalares.

Os hospitais sofrem com a precarização e a falta de recursos que atingem diretamente a população atendida e também a qualidade do aprendizado dos estudantes da área da saúde:

“Os hospitais estão interrompendo as internações eletivas por causa de falta de custeio e, se continuar a deficiência financeira, serão interrompidas também as internações emergenciais. O último passo vai ser a transferência dos pacientes internados e o fechamento desses hospitais, o que seria emblemático e uma tragédia”, disse o presidente do Cremerj, em audiência pública realizada na própria autarquia no final do mês de novembro e que contou com a presença dos diretores dos hospitais universitários.

Leia a matéria na íntegra, aqui.

4 Escute, pela internet, o programaVoz Docente desta semana, nº 51/2015

Na pauta:

*Entrevistados, os presidentes das seções sindicais da UFRGS, prof. Mathias Luce, e da UFPel (Pelotas), profª Celeste Pereira, fazem um balanço das lutas de 2015.

*No Notícias Expressas:

-ANDES-SN insiste em negociação para impedir o aprofundamento da desestruturação da carreira;

-ANDIFES e CONSUN/UFRGS se posicionam contra o processo de impeachment;

-Proifes quer criar sindicato com procurações, sem professores.

*E o irônico conde Pié, sobrinho neto do barão de Itararé, volta a comentar o “golpe”, uma coisa inconstitucional, “isso mesmo uma coisa que fere a Constituição Federal”: “querem instituir a cobrança nas Universidades Públicas”!

Voz Docente é semanal, produzido pela Seção ANDES/UFRGS, em parceria com a Seção Sindical da UFPEL e a Regional/RS do ANDES-SN, e radiodifundido às quartas-feiras, às 13h, na Rádio da Universidade, 1080 AM ou on-line:http://www.ufrgs.br/radio/

O programa é também veiculado três vezes por semana em Pelotas: pela Rádio Federal FM 107,9, emissora da UFPel, e pela RádioCom 104.5 FM.

Seção Sindical do ANDES-SN: sindicato de verdade!

– Ensino Público e Gratuito: direito de todos, dever do Estado!

– 10% do PIB para Educação Pública, já!

Post anterior
Deixe um comentário

1 comentário

  1. InformANDES na UFRGS, nº 123/2015, 29/12/2015. | Seção Sindical ANDES/UFRGS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: