• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • novembro 2015
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

InformANDES na UFRGS, nº 106/2015, 20/11/2015.

unnamed

20 de novembro: Dia Nacional da Consciência Negra

Por um Brasil livre do racismo!

PAUTA:

EM TEMPO – Sobre a proposta de “reestruturação” salarial apresentada pelo governo: um comentário inicial

1-Biblioteca do IFCH/Letras foi oficialmente reaberta: uma avaliação de dois anos de interdição.

2-Janta de Confraternização será no dia 27 de novembro.

3-Escute, pela internet, o programa Voz Docente desta semana, nº 46/2015.

EM TEMPO – Sobre a proposta de “reestruturação” salarial apresentada pelo governo: um comentário inicial

No momento de fechamento deste número, chegou a informação de que o Ministério do Planejamento (MPOG) enviou ao ANDES-SN e à Federação-Proifes, uma proposta de “reestruturação” salarial.

A proposta governamental está baseada em uma “reestruturação das tabelas” salariais, cuja “expansão” (!!) será de 5,5% em agosto de 2016 e 5% em janeiro de 2017, totalizando 10,8% em janeiro de 2017. O que pensar dessas cifras?

A Adufrgs-Sindical qualifica a proposta de “reajuste”; a referida Federação a apresenta como um “avanço”. O que pensar dessas qualificações?

A pretensa “expansão” não passa de um confisco!

O “reajuste” (ou “expansão”) proposto pelo governo é, na verdade, um confisco. A inflação de março a outubro de 2015, medida pelo INPC, já é de 4,67% e certamente atingirá os 5,5% até o final de novembro.

Sem considerar as perdas passadas, 5,5% é uma recomposição que deveríamos receber já no próximo contracheque.

Para empatar com a inflação, deveríamos receber, em agosto de 2016, um reajuste superior a 15%

A postergação desse reajuste para agosto de 2016 é um confisco de efeitos duradouros e cumulativos, pois a inflação continua subindo e, para manter o valor de março de 2015, seria necessário, em agosto de 2016, um reajuste superior a 15%

Os docentes federais reivindicam, junto com os demais servidores federais, a data-base em 1º de maio de cada ano, pois a recomposição anual dos salários é um direito assegurado pela Constituição e que os governos insistem em não cumprir.

1-Biblioteca do IFCH/Letras foi oficialmente reaberta: uma avaliação de dois anos de interdição

image006 (4)

Reinauguração da Biblioteca

No final de dezembro de 2013, um vazamento de água provocou um alagamento de proporções desastrosas na Biblioteca do IFCH/Letras (BibCSH), provocando sua interdição e fechamento para reforma durante 22 meses.

Na última sexta-feira, 13/11, ocorreu a “reabertura oficial” da BibCSH, com presença do Reitor, das diretoras do IFCH e Instituto de Letras, da equipe da BibCSH e com grande comparecimento de funcionários, docentes e alunos de ambas Unidades.

Reabertura: em grande parte fruto do esforço e dedicação dos técnico-administrativos

Os técnico-administrativos do IFCH produziram um texto, para a comunidade, formulando esclarecimentos e reivindicações: Os Técnicos Administrativos do IFCH esclarecem à Comunidade Universitária que:

O professor Mathias Luce, presidente da Seção Sindical/ANDES e docente do IFCH, saudou a entrega das novas instalações à comunidade e exaltou o grande esforço realizado, durante todo esse período, pelos servidores técnico-administrativos da BibCSH para o salvamento e recuperação e/ou preservação do acervo, para manter um atendimento mínimo de emergência, bem como para a recolocação em funcionamento da Biblioteca: “tarefas e etapas que não teriam sido cumpridas sem a extrema dedicação dos técnico-administrativos!”

Quatro semestres com a biblioteca interditada: uma avaliação

As bibliotecas são a Alma Mater das universidades, especialmente nos cursos que têm nos livros o seu “laboratório” e o seu material de pesquisa.

Nesses quase dois anos ou quatro semestres letivos em que a comunidade acadêmica não teve acesso à BibCSH, que possui o maior acervo da UFRGS, com 200 mil volumes, grandes prejuízos foram acumulados.

Alunos tiveram quase metade da sua graduação sem poder acessar a biblioteca. Centenas de trabalhos de conclusão de curso, de dissertações de mestrado e teses de doutorado ficaram sem poder contar com o acervo principal da Biblioteca do IFCH/Letras (BibCSH).

Considerando somente as duas Unidades administradoras da BibCSH (o IFCH e o Instituto de Letras), chega-se a um quadro em que cinco cursos de graduação (Ciências Sociais, Filosofia, História, Políticas Públicas, Letras, i.e., nove habilitações) e oito cursos  de pós-graduação estiveram sem acesso ao acervo de sua biblioteca.

Para o professor Mathias Luce, “este foi um prejuízo muito grande, o qual não pode ser admitido em uma universidade do porte da UFRGS”.

Fatalidade? Ou falhas de manutenção e prevenção?

A tese da Administração Central da UFRGS é que a inundação da BibCSH foi um acidente ou uma fatalidade. Será?

Na verdade, houve, em primeiro lugar, problemas de edificação e de utilização, em caráter “provisório” (durante mais de 30 anos!), de um prédio inadequado, que oferecia perigos ao abrigo de uma biblioteca.

Mas, observou o representante da Seção ANDES/UFRGS, esses problemas iniciais poderiam ter sido evitados e corrigidos “se fossem observadas as normas técnicas de controle/revisão/avaliação, manutenção e prevenção”. E isso não houve em momento algum. Ou seja, constata-se que houve práticas administrativas falhas e descaso com a Biblioteca, descaso com a qualidade (ou precariedade) das condições de trabalho e de infraestrutura.

Após comentar que “a recuperação/reabertura da BibCSH atende um dos itens da pauta local de reivindicações da greve docente de 2015, na questão de infraestrutura”, o prof. Luce perguntou: e as outras demandas locais ainda não atendidas? Por exemplo, o prédio do Instituto de Psicologia?

Mesmo diagnóstico para o prédio do Instituto de Psicologia

Cabe salientar que o diagnóstico é o mesmo para o prédio do Instituto de Psicologia. Os problemas foram herdados do passado, pois tiveram sua origem em sérias deficiências de edificação (na época em que o prédio sediava o “Básico da UFRGS”). Mas, essas deficiências, esses riscos e perigos nunca foram detectados, ainda menos corrigidos, em decorrência de sérias falhas (ou inexistência) de controle/revisão/avaliação, manutenção e prevenção!

Soma de prejuízos

Considerando que tanto a BibCSH como a Biblioteca do Instituto de Psicologia sofreram fechamento, por conta de problemas estruturais em seus respectivos prédios por falta de manutenção, chega-se a um quadro em que oito cursos de graduação (uma dúzia de habilitações!) e quatorze (14) cursos de pós-graduação estiveram sem acesso ao acervo de suas bibliotecas durante o final de 2014 e o ano de 2015.

Novamente, “um prejuízo muito grande e inadmissível”. Que poderia ter sido evitado com controle, manutenção e prevenção!

Leia: Os Técnicos Administrativos do IFCH esclarecem à Comunidade Universitária que:

Leia a matéria do Portal da UFRGS: Reaberta oficialmente a Biblioteca de Ciências Sociais e Humanidades

2-Janta de Confraternização será no dia 27 de novembro

Nesta ano de 2015, a Janta de Confraternização da Seção Sindical será no dia 27 de novembro, a partir das 20h00, na Churrascaria Giovanaz, na Av. Venâncio Aires, 10 (quase esquina com a Rua José do Patrocínio). Estão todas e todos convidados para festejar.

Preços (pagamento, só com cheque ou em dinheiro): espeto corrido: R$ 27,00; refrigerante e suco: R$ 5,00; cerveja: R$ 10,00; + 10% de serviço; Sindicato de Verdade, não tem preço!

Agende-se!

3- Escute, pela internet, o programaVoz Docente desta semana, nº 46/2015

Na pauta:

-Uma entrevista com o professor Giovanni Frizzo (diretor do ANDES-SN) sobre a resistência à três projetos legislativos que atacam o caráter público da rede federal superior e da C&T.

-Pesquisador da UFPR afirma que Assédio não pode ser reduzido a uma questão interpessoal, é um problema de institucionalização da violência nas instituições.

-Encontro Nacional do ANDES-SN sobre Assuntos de Aposentadoria.

-Há sérios riscos de que a maior universidade federal do país, a UFRJ, tenha que suspender aulas por falta de dinheiro.

-Para finalizar: pequeno poema, “Vida e morte Mariana”, de autoria de Jairo, morador de Minas Gerais.

Voz Docente é semanal, produzido pela Seção ANDES/UFRGS, em parceria com a Seção Sindical da UFPEL e a Regional/RS do ANDES-SN, e radiodifundido às quartas-feiras, às 13h00, na Rádio da Universidade, 1080 AM ou on-line:http://www.ufrgs.br/radio/

O programa é também veiculado três vezes por semana em Pelotas: pela Rádio Federal FM 107,9, emissora da UFPel, e pela RádioCom 104.5 FM.

Seção Sindical do ANDES-SN: sindicato de verdade!

– Ensino Público e Gratuito: direito de todos, dever do Estado!

– 10% do PIB para Educação Pública, já!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: