• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • junho 2015
    S T Q Q S S D
    « maio   jul »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

InformANDES na UFRGS, nº 54/2015, 13/06/2015.

PAUTA:

1-Cronologia dos encontros com o governo: houve mesmo negociação?

2-ANDES/UFRGS participou de reunião de professores do Instituto de Biociências, e do Colégio de Aplicação – CAp.

3-Reunião organizada pelos técnico-administrativos alerta para “péssimas condições” de Restaurantes Universitários – RUs da UFRGS.

4-Escute, pela internet, o programa Voz Docente desta semana, nº 23/2015.

1-Cronologia dos encontros com o governo: houve mesmo negociação?

Foram seis reuniões entre 20 de março e 22 de maio de 2015: três reuniões do governo com o Fonasef (representando os servidores federais) e três reuniões do governo com o ANDES-SN (e presença da Federação-Proifes em uma delas). Em nenhuma das seis reuniões, houve negociação efetiva. Pelo contrário, em duas delas o governo renegou o que tinha acordado em reunião anterior.

O governo reúne com o ANDES-SN e com os servidores federais (Fonasef) para discursar, expor seus planos de “ajuste fiscal”, de redução da folha de pagamento, de corte de verbas. Quando o ANDES-SN e o Fonasef cobram respostas à pauta de reivindicações, o governo responde com a “necessidade de estudos” e remete as respostas a reuniões posteriores, distantes e sem data.

Trata-se de um processo de negociação? Não: um processo de delongas e protelação! Como educadamente escreveu a Fasubra em uma carta ao titular do MEC: “Ministro, é preciso NEGOCIAR e não somente DIALOGAR! Queremos negociação Já!!”.

Em outras palavras: chega de postergação!

Colega, queres conferir a cronologia e os resultados das reuniões? Leia aqui ou aqui.

Queres saber mais: veja abaixo.

Coletiva de imprensa e divulgação de uma tabela com o histórico de reuniões-sem-negociação com o governo, desde o final da greve de 2012

Para denunciar o descaso governamental com a negociação, O Comando Nacional de Greve (CNG) dos Docentes Federais do ANDES-SN e o CNG da Fasubra (funcionários técnico-administrativos das instituições federais de ensino – IFE) realizaram, na quinta-feira 11/06, uma coletiva conjunta de imprensa para relatar a dificuldade encontrada por ambas entidades na abertura de negociações com o governo federal, desde 2012. Leia aqui.

Para documentar e comprovar, em base em dados, a afirmação de que o governo não vem negociando, o CNG do ANDES-SN divulgou um documento em que analisa o histórico, desde a suspensão da greve de 2012, das tentativas do Sindicato Nacional em negociar, com o governo federal, a pauta de reivindicações da categoria. O documento é intitulado “Reunião sem proposta não é negociação, é enrolação!”.

Em uma tabela anexa à carta, o CNG detalha todo o processo de agendamento, cancelamento e reuniões infrutíferas com representantes do Ministério da Educação (MEC) e do Planejamento (MPOG) desde 2012. Leia a tabela aqui ou Confira aqui a tabela.

Para ler “Reunião sem proposta não é negociação, é enrolação!”, clique aqui ou Leia o documento.

Screen Shot 2015-05-24 at 9.39.08 PM

2-ANDES/UFRGS participa de reunião de professores do Instituto de Biociências, e do Colégio de Aplicação – CAp

2.1-no Instituto de Biociências

Na última terça-feira, 09/06, no Instituto de Biociências, ocorreu reunião de professores, de caráter informativo e de discussão, para debater a greve nacional em curso desde 28 de maio. Fizeram-se presentes dezesseis docentes da Unidade.

Os profs. Elisabeth Búrigo e Robert Ponge, representando a Seção Sindical, compareceram para fornecer esclarecimentos sobre os motivos da greve, sobre a recusa do governo em negociar e sobre a pauta de reivindicações.

A partir de intervenções de colegas da Unidade, foram discutidos a precarização da infraestrutura da UFRGS e de suas condições de trabalho e ensino, bem como problemas e dificuldades do próprio Instituto de Biociências.

Segundo o comentário geral dos presentes, o debate foi rico e esclarecedor.

2.2-no Colégio de Aplicação

Nesta sexta-feira, 12/06, foi no Colégio de Aplicação – CAp que ocorreu uma reunião docente com o mesmo caráter da reunião anterior, no Biociências. Dezoito professores estavam presentes. Porém, a discussão sobre a greve e as reivindicações foi mais breve.

Boa parte da reunião foi dedicada ao debate de dificuldades vivenciadas no dia a dia da Unidade: problemas sérios nas condições de trabalho e ensino, precariedade de certos aspectos do atendimento aos alunos (limpeza, higiene, fornecimento de lanches, segurança), assim como falta de manutenção das instalações da escola e dos equipamentos.

As intervenções do(a)s professore(a)s carregavam a marca da preocupação, às vezes da angústia e/ou da revolta diante desses problemas que vêm perdurando!

2.3-Assembleia Geral (AG) Docente da quarta-feira 17 de junho, às 18h00

Em ambas reuniões, vários professores se comprometeram em comparecer na AG desta quarta-feira, 17 de junho, às 18h00, no Auditório (sala 102) da Faculdade de Educação – FACED.

Colega, compareça também para discutir os informes sobre a situação das negociações e a conjuntura da greve nacional e para decidir nossa posição sobre a greve nacional em curso, de modo a somarmos forças nacionalmente para que o governo efetive a negociação que o ANDES-SN vêm reivindicando desde o segundo semestre de 2012!

Leia o panfleto de convocação da Assembleia Geral, aqui.

3-Reunião organizada pelos técnico-administrativos alerta para “péssimas condições” de Restaurantes Universitários – RUs da UFRGS

Na última quarta-feira, 10/06, na Agenda/Assufrgs das atividades da greve nacional dos técnico-administrativos, foi realizado debate sobre a situação dos Restaurantes Universitários (RUs).

Situação dos RUs é “precária”

Presentes no debate, as nutricionistas em greve relataram as “péssimas condições” dos RUs, “causadas pela má gestão e pelo corte de verbas”. Informaram que houve o corte de 25% dos gêneros alimentícios e que a redução nas verbas interfere diretamente nos RUs, piorando uma situação que já não é ideal.

Lembraram dos fechamentos dos RUs pela Vigilância Sanitária, que aconteceram devido às “péssimas condições de infraestrutura, equipamentos e falta de produtos de limpeza”, questões que são motivo de reclamações constantes das nutricionistas, que não são atendidas pela Reitoria.

Afirmaram que, apesar das pressões, a grande maioria das nutricionistas resolveu manter a greve para, além de fortalecer a pauta da Fasubra, denunciar as péssimas condições dos RUs.

Reunião manifestou apoio às nutricionistas e criticou a Administração Central

Os presentes na reunião, junto com as entidades DCE e APG, manifestaram o apoio à mobilização das nutricionistas e criticaram a posição da Reitoria de pressionar às técnicas para que voltem ao trabalho.

Impossibilitada de comparecer, a Seção Sindical ANDES/UFRGS enviou carta manifestando apoio à greve dirigida pela Assufrgs e Fasubra. Classificou como surpreendente a pressão da Reitoria sobre as nutricionistas em greve, sob a justificativa de se tratar de serviço essencial. Enfatizou que os RUs fecham frequentemente, inclusive por longos períodos, devido a problemas diversos, e que, nesses momentos, os RUs nunca são caracterizados como “serviço essencial”.

unnamed (22)

Leia mais aqui.

Fonte: Assufrgs, com edição da Seção Sindical/UFRGS.

4- Escute, pela internet, o programaVoz Docente desta semana, nº 23/2015.

No roteiro:

**Uma entrevista com a profª Marinalva Oliveira, Vice-Presidente do ANDES-Sindicato Nacional, em que esclarece os cinco pontos da pauta reivindicativa e atualiza o quadro nacional da greve docente.

**Outra entrevista, com o Vice-Presidente do ANDES-UFRGS, prof. Robert Ponge (Instituto de Letras), que faz uma retrospectiva das reuniões do ANDES-SN e do Fórum representativo dos servidores federais com o governo. O professor esclareceu que não há negociação, mas protelação sistemática do governo. Por isso, se impôs a necessidade de deflagrar a greve nacional em 28 de maio.

**O conde Pié, sobrinho neto do barão de Itararé, volta a explicar que ficar tomando cafezinho com o Ministério da Educação, como faz a Proifes, NÃO É NEGOCIAR.

No Voz Docente, temas de interesse da comunidade como ciência e tecnologia, cultura, realidade nacional e internacional, a situação dos docentes universitários e do funcionalismo público federal são abordados de forma crítica e equilibrada.

Voz Docente é semanal, produzido pelo ANDES/UFRGS, em parceria com as Seções Sindicais da UFPEL e da FURG, e radiodifundido às quartas-feiras, às 13h00, na Rádio da Universidade, 1080 AM ou on-line:http://www.ufrgs.br/radio/

O programa é também veiculado três vezes por semana em Pelotas: pela Rádio Federal FM 107,9, emissora da UFPel, e pela RádioCom 104.5 FM.

Seção Sindical do ANDES-SN: sindicato de verdade!

– Ensino Público e Gratuito: direito de todos, dever do Estado!

– 10% do PIB para Educação Pública, já!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: