• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • outubro 2014
    S T Q Q S S D
    « set   nov »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

InformANDES na UFRGS, nº 91/2014, 01/10/2014.

PAUTA:

1- Escute, pela internet, o programa Voz Docente, nº 9/2014, de 01/10, com entrevista sobre terceirização da contratação e administração de docentes federais.

2-Renomeada principal via de acesso à Capital: sai “Castelo Branco”, agora é “Avenida da Legalidade”.

3-Saiu na imprensa: greve dos bancários está se fortalecendo.

4-Consulta popular por reforma política teve mais de 7 milhões de votos.

1-Escute, pela internet, o programa nº 9/2014, de 01/10, com entrevista sobre terceirização da contratação e administração de docentes federais.

cid:ii_hz8ihi4l0_14808905998f8481

No roteiro, estão:

-Sobre a interdição do Voz Docente, nº 8

Esclarecimento do programa sobre o cancelamento do nº 8 (como informado no boletim anterior, ficou acordado entre a Direção da Rádio e a Seção Sindical que o programa Voz Docente, nº 8, será veiculado em data próxima, de escolha da Direção da Rádio).

-Receita do conde Pié

O conde Pié, recém condecorado, apresenta receita de suflê filosófico-político, feito à base de massa crítica, porém – ressalva-se – absolutamente livre de propaganda eleitoral (para alívio de todos nós) e não partidária (pois o ANDES-SN é independente dos governos e dos partidos). O Conde assevera que o prato é saboroso e firme, mas sem perder a ternura. Não garante que todos vão gostar, pois o gosto é livre e subjetivo, e assim sendo, sem possibilidade de haver consenso.

Entrevista do presidente do ANDES/UFRGS sobre o projeto da Capes (e do governo) de terceirizar a administração e contratação de docentes federais

O presidente do sindicato dá suas primeiras avaliações sobre as declarações do Presidente da CAPES. Esse assunto certamente será tema de muitos programas, já que é de interesse não somente da comunidade universitária, mas de toda população brasileira.

Escute Voz Docente pelo facebook: https://www.facebook.com/andesufrgs

ou pelo blog: https://andesufrgs.wordpress.com/voz-docente/

Não perca!

Escutou o programa e gostou: curta e compartilhe!

Envie seus comentários, sugestões, dúvidas e perguntas a vozdocente@ufrgs.br

No Voz Docente, temas de interesse da comunidade como ciência e tecnologia, cultura, realidade nacional e internacional, a situação dos docentes universitários e do funcionalismo público federal são abordados de forma crítica e equilibrada.

Voz Docente é semanal, produzido pelo ANDES/UFRGS, em parceria com as Seções Sindicais da UFPEL e da FURG, e radiodifundido às quartas-feiras, às 13h00, na Rádio da Universidade, 1080 AM ou on-line: http://www.ufrgs.br/radio/

2-Renomeada principal via de acesso à Capital: sai “Castelo Branco”, agora é “Avenida da Legalidade”

Nesta quarta-feira 01/10, foi promulgado o Projeto de Lei aprovado pelo Legislativo municipal: o principal acesso a Porto Alegre deixa de homenagear, primeiro presidente da ditadura militar, e passa a se chamar “Avenida da Legalidade e da Democracia”.

Como o prefeito José Fortunati não sancionou nem vetou o projeto, quem o promulgou foi o presidente em exercício da Câmara. Fortunati justificou sua postura alegando que haveria dúvidas quanto a aspectos ”formais” relativamente à processualidade e votação do projeto.

A não-decisão do prefeito surpreendeu, foi taxada de “omissão” e recebeu críticas, pois militou contra a ditadura e está filiado no PDT, partido fundado por Leonel Brizola, principal figura historicamente associada com o movimento da Legalidade, em agosto de 1961.

Mariana Fontoura/CMPA

A Comissão Estadual da Verdade (CEV-RS) declarou que a “renomeação de logradouros, retirando a homenagem (auto)prestada a autoridades do regime autoritário, ao lado da identificação de sítios de memória – locais que marcam a existência de pessoas ou fatos históricos do passado recente de resistência e de repressão –, constitui importante passo no processo de ressignificação dos espaços públicos, associando-os à luta pela efetivação da democracia e da cidadania”.

Leia mais: Sul 21; ZH.

Fontes: Correio do Povo, 02/10/2014, p. 18; Sul 21; ZH.

3-Saiu na imprensa: greve dos bancários está se fortalecendo

Está crescendo a greve dos bancários. No Rio Grande do Sul, fecharam 767 agências na terça-feira (primeiro dia de paralisação) e 919 na quarta-feira.

Paralisação no Banrisul ainda não foi total l Foto: Bernardo Jardim Ribeiro/Sul21

Nacionalmente, 6.572 unidades não abriram na terça, e 7.673 na quarta-feira.

Um dirigente bancário comenta: “A população tem certa solidariedade, porque ela sabe que a culpa é dos bancos. A maioria dos clientes nos apoia”.

Os bancários reivindicam: 12,5% de reajuste salarial, piso de R$ 2.979,00, auxílio-creche/babá de R$ 724,00 por mês, entre outros itens.

Leia mais aqui.

Fonte: Correio do Povo, 02/10/2014, p. 7.

4Consulta popular por reforma política teve mais de 7 milhões de votos.

Na quarta-feira 24/09, a Coordenação do “Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político” divulgou os resultados do Plebiscito, realizado entre os dias 01 a 08 de setembro.

7,75 milhões de pessoas participaram do Plebiscito Popular. Desse total, 6,95 milhões votaram em urnas físicas e 1,74 milhão pela internet. As manifestações favoráveis à convocação de uma assembleia exclusiva para reforma política somaram 97,05% do total, as contrárias, 2,57% e 0,38% foram votos brancos e nulos.

Ainda que o objetivo inicial fosse atingir a marca dos 10 milhões de votantes em todo o país, a organização da consulta popular avalia o Plebiscito como vitorioso, superando as expectativas de participação nos vários estados brasileiros.

A votação feita entre os dias 1º e 8 de setembro faz parte de uma campanha organizada por movimentos sociais para a convocação de uma assembleia constituinte para fazer alterações nas leis referentes ao sistema político. A votação, que na prática é apenas uma consulta, é uma forma de pressionar o Congresso Nacional para a convocação de um plebiscito com valor legal sobre o tema.

Leia mais aqui e aqui.

Fonte: Sul 21, 24 e 26/09/2014.

Seção Sindical do ANDES-SN: sindicato de verdade!

– Ensino Público e Gratuito: direito de todos, dever do Estado!

– 10% do PIB para Educação Pública, já!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: