• Sindicalize-se!

  • Seção Sindical ANDES/UFRGS no Facebook

  • Cartilha sobre Assédio Moral

  • Assessoria Jurídica

  • Site ANDES-SN

  • Eventos por vir

    Nenhum evento

  • julho 2012
    S T Q Q S S D
    « jun   ago »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • É para rir?

  • Categorias

  • + notícias

  • Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Com café da manhã aos funcionários do Planejamento, docentes exigem negociação

Os professores, técnicos-administrativos e estudantes das Instituições Federais de Ensino (IFE) iniciaram a semana com um café da manhã em frente ao Ministério do Planejamento para reivindicar a abertura imediata e efetiva de negociação em torno da pauta de reivindicações dos docentes em greve. A atividade foi organizada pelos Comandos Nacionais de Greve do ANDES-SN e do Sinasefe, com o apoio dos CNG da Fasubra e dos estudantes.

Desde às 7h desta segunda-feira (2), quem chegou para trabalhar no Planejamento foi surpreendido com o ato, que contou com a participação de mais de 200 pessoas. Frutas, sucos, café, e pães foram distribuídos aos funcionários do prédio junto com uma rosquinha que acompanhava a carta dirigida ao secretário de Relações do Trabalho (SRT/MP), Sérgio Mendonça, cobrando a proposta do governo e o agendamento da data em que ela será apresentada.Veja aqui a carta.

“Queremos a abertura de negociação efetiva, ainda esta semana, com apresentação de proposta do governo para a reestruturação da nossa carreira. A categoria está extremamente indignada com a falta de resposta e de compromisso do governo tanto com os docentes quanto com a sociedade, diante desta greve forte, que já passa de 45 dias e engloba mais de 90 IFE.”, disse Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN.

A atividade, realizada em clima alegre e descontraído, foi considerada um sucesso pelos organizadores. “Os funcionários do Planejamento nos receberam de forma muito positiva. Entregamos a carta à coordenadora de negociação e relações sindicais do Planejamneto, Edina Lima, que se comprometeu em repassá-la ao Sérgio Mendonça. Se não obtivermos retorno até o fim do dia, amanhã ligaremos cobrando uma resposta. Exigimos que Dilma atenda às nossas reivindicações”, comentou a professora Celi Taffarel, da Associação de Professores da Universidade Federal da Bahia (Apub) e representante do CNG do ANDES-SN.

Marinalva Oliveira ressaltou que nesta segunda-feira, 2, venceu mais uma data apontada pelo próprio Mendonça, na única reunião realizada com os docentes (12/6) desde o início da greve, em 17 de maio, para apresentação da proposta do governo e conclusão das negociações sobre a reestruturação da carreira docente.

“Na ocasião, o governo chegou a pedir uma trégua aos grevistas, dizendo que em 20 dias apresentaria uma proposta e chegaríamos ao término das negociações. Hoje, mais uma vez comprovam que não é capaz de cumprir os prazos que eles mesmos estabelecem, mostrando também a indisponibilidade em negociar com os professores para superarmos o impasse e encerrarmos a greve”, ressaltou.

A presidente do ANDES-SN lembrou ainda que os docentes sempre estiveram prontos a negociar a proposta apresentada e protocolada junto aos ministérios do Planejamento e da Educação no início de 2011. “Os prejuízos dessa greve devem ser creditados ao governo, que não tem mais credibilidade junto à categoria e demonstra total desrespeito à sociedade e aos trabalhadores”, completou.

Chamado à presidente Dilma
O Comando Nacional de Greve do ANDES-SN está preparando uma carta endereçada à presidente Dilma Rousseff. Na análise de conjuntura divulgada pelo CNG neste domingo (1/7), os professores em greve concluem que “o fato do governo Dilma não ter apresentado proposta de carreira para negociação com os docentes até a presente data deixa evidente uma política que não alterou seus rumos de tratar com austeridade os trabalhadores e os serviços públicos, nos marcos da reforma de Estado iniciada nos governos Collor e Itamar, e continuada nos governos FHC, Lula e Dilma.”

“O governo Dilma está comprometido com o arrocho salarial e o corte de gastos sociais, e embora não se mostre disposto a atender as reivindicações dos servidores públicos por carreira, reajuste salarial e melhores condições de trabalho, atende, sim, os setores ligados ao capital, seja por meio de subsídios, financiamento público e isenções fiscais, seja gastando mais de 45% do orçamento da União com o pagamento de juros e amortizações do sistema rentista da dívida pública”, segue o texto.

No documento, ressaltam também que a expansão do sistema federal de educação no Brasil expandiu-se em bases orçamentárias insuficientes e sem autonomia, aprofundando o processo de precarização das condições de trabalho nas IFE, materializado na falta de docentes e técnico-administrativos, na saturação ou mesmo na inexistência de infraestrutura adequada para o ensino, a pesquisa e a extensão, bem como na intensificação crescente do trabalho dos docentes, técnico-administrativos e trabalhadores terceirizados. 

Além disso, apontam que “a queda do financiamento per capita e a insuficiência de recursos para a assistência estudantil se expressam na degradação das condições objetivas para a permanência dos estudantes nas instituições e a conclusão exitosa em seus cursos.” Leia aqui a íntegra do texto.

Intensificação das mobilizações
A greve no setor da Educação, que teve início em 17 de maio com 33 IFE, segue forte. O Comando Nacional de Greve estima que 95% das instituições federais de ensino estão com as atividades paralisadas – veja quadro.

Durante toda a semana, estão previstas manifestações e atividades em todos os estados, com intensa participação da base docente, em conjunto com os técnicos-administrativos e estudantes também em greve.

Confira a agenda divulgada pelo CNG do ANDES-SN para as próximas semanas:
3/7 – Terça-feira – Atividade Nacional dos estudantes em defesa da Educação. Em Brasília, o ato será em frente ao MEC às 9h.
3/7 – Terça-feira – Ação unificada no Parlamento em torno da MP 568, a partir das 10h.
3 a 6/7 – Ações Unificadas nos Estados. Sobre a “Qualidade nos serviços públicos”. No caso dos docentes em greve, o foco será o Reuni e a expansão sem devida aplicação de recursos.
7/7 – Reunião conjunta dos Comandos de Greve em Brasília.
9 a 13/7 – Atos unificados nos estados com o mote COPA.  Locais simbólicos da COPA. Estádios em construção.
18 a 20/7 – Acampamento na Esplanada, em Brasília, dos Servidores Públicos Federais (SPFs).
18/7 – Marcha Brasília.
20/7 – Plenária dos Servidores Públicos Federais (SPFs).

Veja aqui o quadro da greve, atualizado em 1/7 pelo CNG do ANDES-SN.

Fonte: ANDES-SN
02.06.2012
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: